Rui Varela

Podem chamar-lhe armário, ponta-de-lança com défice de qualidade para controlar uma bola junto à relva, mas este Rui Varela assinou uma das melhores exibições com a camisola do Estrela da Amadora e deixou vários dragões à beira de um ataque de nervos. Contratado ao Olivais e Moscavide, o avançado de 25 anos está a acumular minutos ao mais alto nível e apresenta características interessantes, pouco comuns nos nossos genes. Entrou antes da meia-hora, com o F.C. Porto por cima. Revolveu tudo, marcou o golo do empate pelos ares, em antecipação a Guarín, e lançou as bases para o segundo, servindo Anselmo, de matador para matador.

Ernesto Farías

Quarto golo do avançado argentino na Taça de Portugal, denotando especial apetência para esta competição. Alias, outro dado curioso no percurso de Tecla Farías no F.C. Porto: aumenta consideravelmente o seu pecúlio de golos nas segundas metades das temporadas. 12 golos nas várias competições em que os dragões participam, justificando os créditos acumulados na Argentina. Letal na pequena área, aproveitou da melhor forma a assistência de Lisandro. Depois, caiu a pique.

Lisandro López

Procurou ser um exemplo para os jogadores menos utilizados. Aliás, como é seu timbre. Esgotou todos os depósitos de combustível disponíveis, tanto em direcção da baliza do E. Amadora como para correr atrás de adversários, qual médio de cobertura. Fossem todos assim e Jesualdo teria uma vida sem sobressaltos.

Fucile e Pedro Pereira

Um dos duelos mais interessantes desta noite, na Reboleira. Fucile regressou à competição após ausência prolongada, dois meses em que privou o F.C. Porto do seu melhor lateral. Entretanto, Cissokho e Sapunaru cresceram de produção e atenuaram a ausência. Neste regresso, o internacional do Uruguai sentiu dificuldades para travar o veloz adversário, num duelo onde escasseavam os centímetros. Pedro Pereira aproveitou a oportunidade e acumulou incursões pelo flanco. Na recta final do encontro, ainda reclamou uma grande penalidade, por carga de Fucile, sem sucesso.

Fernando

Tranquilizou o F.C. Porto quando substituiu Andrés Madrid, na etapa complementar. O sector intermediário dos dragões, completamente remodelado, não conseguia dar conta do recado mas Fernando acrescentou a agressividade necessária para a batalha. Madrid, por seu turno, vai fazendo pouco para justificar a compra definitiva do seu passe, por parte do F.C. Porto. Fernando está bem acima.

Varela

Destaque da praxe para um trabalhador incansável. Descobriu inúmeros espaços no flanco esquerdo, frente à sua futura equipa. Serviu para ir marcando posição junto dos companheiros da próxima época. Sapunaru que o diga.

Fernando Alexandre

Bela exibição de um médio que termina a época em crescendo. Foi vencendo inúmeros duelos no sector intermediário sem precisar de sujar o equipamento ou ranger os dentes. Tem qualidade técnica e visão de jogo apreciável, sabendo dosear o esforço para aguentar 90 minutos a um bom nível. Para seguir com atenção.