O sonho da Taça permanece bem vivo para os lados de Coimbra, depois de um suado triunfo da Briosa sobre o rival do escalão secundário, Penafiel. O extremo Ernest foi o herói da partida, depois de uma assistência do suplente de luxo, Marinho, já na parte final do encontro.

O primeiro tempo na cidade dos estudantes foi de claro protagonismo da formação da casa, tanto no domínio do jogo como também na criação de oportunidades junto da baliza contrária. Depois de nos primeiros dez minutos ter cheirado o perigo em dois lances de bola parada, a Briosa ficou muito perto do golo, numa combinação entre Kaká e Traquina, que só não resultou no primeiro momento de festa para os academistas porque a bola picada pelo extremo português por cima do guarda-redes penafidelense passou a rasar o poste esquerdo.

A Académica, com muito dinamismo na zona intermediária (neste particular, destaque para a primeira parte absolutamente soberba de Makonda e Kaká), tinha a iniciativa do jogo e ia buscando a baliza de Coelho com bastante frequência. Makonda, de pontapé de bicicleta e Traquina, em excelente posição, mesmo na marca de penálti, dispuseram de duas chances brutais para inaugurar o marcador mas o resultado chegaria como começou ao intervalo…

No regresso dos balneários, exatamente a mesma dinâmica, com os «estudantes» por cima, frente a um Penafiel mais pragmático e com dificuldades em explorar a contraofensiva. Traquina continuava a ser o mais esclarecido dos donos da casa, sendo bem secundado por Kaká e Ernest, que dispôs de dois bons remates, com a bola a passar, contudo, ao lado do poste direito da baliza dos visitantes. Dos penafidelenses, nem sinal.

Até que Fábio Fortes, a cinco minutos do fim, abanou com o jogo, acertando na trave após um cabeceamento completamente solto de marcação. Não marcou o Penafiel, aproveitou a Briosa para carimbar um lugar nos quartos de final: Marinho, o herói da Taça há quatro anos, voltou a ser decisivo, assistindo Ernest para o golo da vitória, com a maioria dos 1425 espetadores presentes no Cidade de Coimbra a explodir de rejubilo. Não era para menos…

FICHA DE JOGO

Estádio Cidade de Coimbra

Espectadores: 1425.

Árbitro: Rui Costa (AF Porto)

Assistentes: Bruno Rodrigues e Tiago Costa

Quarto árbitro: Daniel Cardoso.

ACADÉMICA: José Costa; Pedro Correia, João Real, Diogo Coelho, Nuno Santos; Jimmy (Marinho, 73m), Makonda; Ernest, Kaká (Tom Tavares, 87m), Traquina; Rui Miguel (Tozé Marreco, 90m).

Suplentes não utilizados: João Gomes, Alexandre Alfaiate, Yuri e Ki.

PENAFIEL: Coelho; Kalindi, João Paulo, Pedro Ribeiro, Daniel Martins; Rafa Sousa (Wellington, 46m), Romeu Ribeiro, André Fontes, Hélio (Mbala, 89m); Fidélis (Fábio Fortes, 76m) e Fernando.

Suplentes não utilizados: Tiago Rocha, Diouf, Djibril e Edu.

GOLOS: Ernest (88m).

Disciplina: Amarelos: Rafa Sousa (29m), Kalindi (70m), Coelho (90+2m) e Tozé Marreco (90+2m).