*Por Carlos Eduardo Esteves

A ressaca pós jogos europeus parecia que ia assustar a equipa de Sérgio Conceição, que chegou a estar a perder em Tondela. Taremi acabou por acalmar treinador, colegas e adeptos. Os azuis e brancos passam em Tondela, ganham três pontos e estão à condição na liderança do campeonato. 

O início de jogo foi muito dividido em Tondela e, quando havia ainda adeptos a sentarem-se nas bancadas do Estádio João Cardoso, já o Tondela ganhava um livre à entrada da área de Diogo Costa. Bola batida por Salvador Agra num cruzamento certeiro para o golo de cabeça apontado por Neto Borges. Este foi o primeiro da carreira do jovem lateral do Tondela e logo frente a um dos grandes do futebol português. 

O Tondela ganhava vantagem cedo naquele que seria o único remate feito à baliza durante a primeira parte. Na bancada reservada aos adeptos do FC Porto o apoio não esmurecia e praticamente um minuto depois, Luíz Diaz tentou uma reação. Nada de perigo daí resultou. O verdadeiro perigo apareceu por Taremi que começava a escrever aqui uma das páginas mais douradas da sua carreira no FC Porto. Neste lance, porém, o iraniano falhou aquele que parecia o golo do empate à passagem dos 10 minutos. 

O FC Porto carregava em busca do golo da igualdade. Só aos 13 minutos o Tondela tornou a aproximar-se da área, mas foi apenas isso. Era do lado azul e branco que se criava perigo. Aos 16 minutos Evanilson cabeceou mas Trigueira mostrou-se à altura e fez uma defesa difícil. O golo do FC Porto havia de chegar aos 19 minutos. João Mário criou a oportunidade que Taremi aproveitou. Estava feita a igualdade que o jogo «pedia» naquela altura. 

Só dava FC Porto. Os dragões queriam desfazer o empate e aos 28 minutos surgiu um lance que mudaria as contas do jogo: os azuis e brancos ficam a jogar com mais um. Undabarrena acabou expulso depois de derrubar... Taremi. O iraniano foi a chave do jogo. Esteve nos lances fundamentais na primeira parte... e da segunda. Do livre nada acabaria por resultar, mas se o Tondela não tinha rematado depois do golo, a situação dos beirões complicou-se. 

Os dragões deram a volta pelo protagonista do jogo. Taremi aproveitou uma falha de Trigueira que, num novo livre, não foi capaz de segurar uma bola batida por Uribe que, aparentemente, estava controlada. O jogador iraniano acreditou que não estava em fora de jogo e acabou por ser feliz apontando novo golo em Tondela e mudando aí a história do encontro.  Estávamos a três minutos do intervalo. O FC Porto chegava à vantagem e tinha mais um jogador em campo. 

O início da segunda parte foi de aperto para a equipa beirã que, a jogar com menos um, foi sentindo a pressão azul e branca, que procurava o golo da tranquilidade. Nos primeiros três minutos, três situações que poderiam ter aumentado a vantagem do FC Porto. 

O Tondela conseguiu soltar-se da pressão azul e branca e ganhou um livre mesmo à entrada da grande área, mas o barulho foi mais pelo cartão amarelo a Pepe do que da falta cobrada por Agra. 

Quando faltava meia hora para o final, Sérgio Conceição lançou Corona e tirou Zaidu. O mexicano acabou por percorrer todo o lado direito dos dragões e entrou bem no jogo. Aos 70 minutos, os portistas chegaram a colocar a bola na baliza de Trigueira, mas o lance acabou invalidado por fora de jogo. No entanto, parecia ser questão de tempo que a bola voltasse a entrar nas redes beirãs.

O técnico portista fez mais duas alterações. Fez sair Vitinha e Evanilson e Sérgio Oliveira e Fábio Vieira entraram em jogo. Mas foi um dos jogadores titulares que acabou por ser, mesmo, e se dúvidas faltassem, o herói do jogo. Taremi voltou a marcar para os dragões que, aos 79 minutos, chegaram ao tal golo da tranquilidade. Nota para Fábio Vieira que fez uma assistência que quase obrigava a que desse golo. O iraniano fez o que tinha de ser feito e chegou ao hat-trick. 

A primeira substituição do Tondela em todo o jogo só surgiu depois do terceiro golo portista. Mas as coisas não se alteraram, dada a vantagem no marcador e no número de jogadores em campo. Foram dos azuis e brancos as oportunidades de golo mais evidentes. Enquanto isso, o técnico do Tondela tentava ainda alguma coisa do jogo, retirando os esgotados Salvador Agra e Neto Borges, que tinham sido protagonistas no único golo do Tondela no jogo. 

Até ao final, o jogo confirmou a superioridade do FC Porto que, conseguiu uma importante vitória em Tondela, com sabor iraniano e está, à condição, na liderança do campeonato.