A tenista russa coloca, assim, um ponto final na série de Serena Williams que esteve onze semanas consecutivas de no topo da classificação, acumulando um total de 72 semanas como número um do ténis mundial. «É uma grande honra chegar a número do ranking e é um sonho que todas as tenistas que jogam a nível profissional partilham», comentou a tenista, sem deixar de fazer uma referência ao irmão Marat.

«É ainda mais especial para mim depois do meu irmão também já ter sido número um, estou contente por poder partilhar este feito com ele. Estou muito orgulhosa dos meus resultados do ano passado, mas gostava de ter chegado a primeiro de outra forma. Espero provar a toda a gente nos próximos meses que mereço a honra de ser número um», acrescentou.

Safina passa, assim, a ser segunda russa, depois de Maria Sharapova, a chegar ao topo da classificação WTA, mas já é a quarta tenista a chegar ao topo sem ter ganho um Grand Slam, depois de Kim Clijsters, Amelie Mauresmo e Jelena Jankovic.

A promoção para o primeiro posto ficou definida depois da derrota de Serena Williams diante da checa Klara Zakapalova no Torneio de Marbella.