Apesar de um bom início na primeira partida, com o parcial de 2-0 a seu favor, Gil, 70º no ranking mundial, perdeu a confiança e acabou por sucumbir na decisão («tie-break») depois de permitir ao actual no 35 do ranking uma vantagem de 5-1.

Na segunda partida, repetiu-se o equilíbrio, com a igualdade a 4-4 a ser apenas desfeita no decisivo 10º jogo, quando Frederico Gil não foi capaz de defender o seu jogo de serviço para continuar em acção. Foi, ainda assim, uma campanha muito positiva para o melhor tenista português, que deverá registar nova subida no ranking, graças aos pontos conseguidos nas rondas anteriores.