Gil, cujo 70º lugar da semana passada é o melhor de sempre para um tenista português, chegou no decorrer da semana aos quartos-de-final do Torneio de Casablanca, mas a sua posição no «ranking» não beneficiou. O português, que esta época já chegou a duas meias-finais de torneios ATP (Joanesburgo e Costa do Sauípe) e se destacou no Open de Miami, um «Masters 1000», onde foi eliminado na terceira ronda por Rafa Nadal, soma agora 1038 pontos, tantos quanto o alemão Bjorn Phau.

Quanto a Machado, conquistou domingo o seu segundo «challenger» da época (Atenas depois de Marrocos) e passou a somar 667 pontos. O objectivo do «top 100» está mais próximo, mas ainda algo distante. O tenista que ocupa a 100ª posição, o uzbeque Denis Istomin, tem 862 pontos.

Na frente do «ranking» mundial de ténis, de resto, nada de novo, após uma semana calma em termos competitivos para os «grandes». Rafael Nadal mantém uma vantagem confortável sobre Roger Federer, que por sua vez ainda vê Novak Djokovic bem longe.