«Ele foi um jogador que marcou o Nacional, está a fazer um grande trabalho no F.C. Porto e é um grande jogador. Mas eu não vim para substituir ninguém. Eu vim para fazer a minha parte, para fazer o meu nome e a minha história aqui, fazer com que o Nacional conquiste os seus objectivos comigo», argumentou Gentil.

O treinador Manuel Machado já elogiou este «dez» brasileiro, afirmando tratar-se de uma mais-valia na sua equipa, consideração que acarreta responsabilidade acrescida, na opinião do jogador: «Os elogios são sempre bem-vindos, seja qual for a profissão. Mas isso serve também para maior responsabilidade, para melhorar cada vez mais. Eu sou um jogador que nunca me acomodo.»

Após a estreia no derby com o Marítimo, Thiago Gentil manteve a titularidade com o Belenenses. E diz-se a caminho do seu melhor. «Já estou me sentindo bem melhor. No primeiro jogo senti algum cansaço, o que é normal, mas nesta partida senti-me bem melhor, até porque tivemos uma semana para trabalhar e trabalhei bem», lembrou.

Depois de curta passagem por Espanha e Grécia, o brasileiro acredita que pode singrar em Portugal. «Nós temos três médios defensivos, o que me dá liberdade de jogar solto. E eu senti-me bem, principalmente no último jogo, com a equipa à minha procura para jogar. Então, acredito que tem tudo para dar certo», perspectivou Gentil.

Na segunda-feira, no encerramento da jornada, com a deslocação a Guimarães (20h15), Thiago Gentil vai ter pela frente um adversário especial: Nilson, guarda-redes do Vitória, foi seu companheiro no Santa Cruz há dez anos.

«Conheço bem o Nilson, pois já joguei com ele no Santa Cruz. Depois, jogámos mais vezes contra, mas reencontrá-lo agora e jogar contra ele será um prazer, pois vou jogar contra um grande guarda-redes e rever um grande amigo. Espero levar a melhor dessa vez», desejou.

Relativamente ao embate com um concorrente directo pela Europa, Thiago Gentil falou em vitória acrescida: «É um jogo de seis pontos, face às dificuldades de jogar lá uma partida decisiva para nós. Claro que não é o último jogo, nem vai resolver nada, mas é de extrema importância. Por isso mesmo vamos para lá extremamente concentrados, com o intuito de conseguir pontos».

Rodrigo e Diego Barcellos sem limitações

Para esta jornada, Manuel Machado tem mais duas opções, uma vez que Rodrigo e Diego Barcellos já treinam sem limitações. Recorde-se que Barcellos vinha trabalhando com máscara no nariz e não se conseguia adaptar, algo que já não necessita; Rodrigo vem de algum tempo de paragem e será mais complicada a sua chamada para o próximo compromisso da equipa.

Edgar Costa vai realizar uma ressonância magnética ao joelho direito na próxima segunda-feira para apurar a gravidade da lesão.

O internacional esloveno Pecnik e o internacional sub-21 montenegrino Tomasevic, que estiveram ao serviços das suas selecções, só nesta sexta-feira regressam ao trabalho no Nacional.