O Vitória de Setúbal venceu este domingo na visita a Tondela (2-1) em partida da 8.º jornada da I Liga. Os sadinos garantem o segundo triunfo consecutivo no campeonato graças aos golos de Semedo (37’) e Mendy (75’), passam a somar 11 pontos e podem concluir a ronda no 7.º lugar. O Tondela, que viu Tomané reduzir a desvantagem aos 80 minutos, continua em zona de despromoção, no 16.º e antepenúltimo lugar.

 

Numa tarde bastante fria na Beira Alta - termómetros a marcar 10.º C – foram os homens do Sado a querer ‘aquecer’ o jogo com uma entrada forte, levando perigo à baliza beirã. Nos primeiros sete minutos, a turma orientada por Lito Vidigal conquistou três cantos e num deles Dankler permitiu a Cláudio Ramos a primeira defesa da partida. Com ambas as equipas ‘encaixadas’ num 4x2x3x1, o meio-campo era a zona mais preenchida do terreno e o Tondela só conseguiu responder aos 16 minutos, com a melhor oportunidade de golo em toda a primeira parte para a equipa de Pepa. Xavier surgiu com espaço na esquerda, correu em direcção à área e rematou forte, ao primeiro poste, para defesa apertada de Joel Pereira.

Dois minutos volvidos, Sérgio Peña encheu-se de fé e alvejou a baliza à entrada da área sadina, só que o remate do peruano saiu fraco e à figura do jovem guardião português.

FILME E FICHA DE JOGO.

Com o avançar do cronómetro o Tondela conseguia ter mais tempo de posse de bola, mas descurava as saídas rápidas para o ataque por parte do adversário e aos 21 minutos Nuno Valente ficou a centímetros do golo num desses lances. O médio apareceu solto na meia-esquerda e, já na área tondelense, rematou cruzado e um pouco ao lado do poste. Ainda antes da meia-hora, contrariedade para Lito Vidigal, face à lesão do jovem lateral-esquerdo André Sousa, que fez o técnico sadino ‘gastar’ uma substituição e colocar Nuno Pinto em campo.

A tendência do jogo mantinha-se: mais posse de bola para os locais e os visitantes sempre de olhos postos nos ataques rápidos. Com pouca capacidade para ligar o seu jogo e chegar com perigo a zonas de finalização, o Tondela só conseguia chegar à baliza contrária em lances de bola parada, mas deixava espaços na defesa, algo que os sadinos souberam aproveitar para ganhar vantagem no marcador aos 37’.

Na sequência de um canto a favor do Tondela, Mendy foi lançado em velocidade pela zona central do terreno, ganhou um ressalto a Joãozinho com alguma sorte à mistura e entrou na área, descaído para o lado direito. O avançado guineense viu depois Semedo aparecer com muito espaço à entrada da área, serviu o colega na perfeição e este rematou para o fundo das redes tondelenses - a bola ainda bateu na perna de Ícaro e tirou Cláudio Ramos do lance.

Jogo “quente” e com dois golos na 2.ª parte.

 

Em desvantagem no marcador, Pepa mudou o ‘figurino’ da equipa do Tondela para a 2.ª parte e promoveu duas alterações ao intervalo. Arango e Jhon Murillo foram lançados para aumentarem o ‘andamento’ no ataque à baliza de Joel Pereira.

Os sadinos procuraram – e conseguiram – baixar o ritmo de jogo, por isso o Tondela só voltou a criar perigo aos 64 minutos, num belo cruzamento de Xavier, na esquerda, a solicitar a entrada de Hélder Tavares. Surgiu Dankler, providencial, a negar o golo do empate. O Tondela voltou a ‘cheirar’ o golo cinco minutos depois, na sequência de um pontapé de canto, com Joel Pereira a ter de se aplicar a fundo para evitar o golo de Ícaro, num cabeceamento ao primeiro poste.

O Tondela acreditava que era possível alcançar um resultado positivo mas os sadinos trataram de complicar ainda mais a tarefa beirã, quando ampliaram a vantagem no marcador ao minuto 75. Livre lateral cobrado por Nuno Pinto, no lado direito, levou a bola até ao segundo poste e aí apareceu a ‘torre’ Mendy, sem oposição, a cabecear para o 2-0.

Mas a ‘esperança’ do Tondela voltou cinco minutos depois, também na sequência de um livre lateral, apontado por Xavier. Arango desviou ao primeiro poste e Tomané deu a cabeçada final para reduzir a contenda, mantendo o desfecho do jogo imprevisível.

Com os beirões crentes, pelo menos, na igualdade, a recta final do encontro teve mais paragens (faltas, lesões, e discussões) do que futebol jogado e foi preciso esperar pela compensação para ver o derradeiro ‘assalto’ do Tondela à baliza sadina. De livre directo, à entrada da área, Arango tentou o golo, mas Joel Pereira voo e segurou os três pontos dos setubalenses na visita ao Estádio João Cardoso.