«Vejo em Mourinho o novo Helenio Herrera. É um técnico competente no banco a comunicar. Não é fácil adaptar-se ao futebol italiano e ele conseguiu-o muito bem, percebeu as dificuldades do futebol em Itália», afirmou Trapattoni à Gazzeta dello Sport.

O antigo treinador do Benfica abordou, ainda, a forma enérgica como Mourinho vive os jogos desde o banco de suplentes e que lhe tem valido alguns dissabores. «Nós, os treinadores sofremos muito no banco e cedemos aos nervos. Aconteceu comigo no Mundial da Coreia, quando atirei uma garrafa contra o banco. Mas não quero, com isto, absolver o Mourinho», ressalvou.

Trapattoni deixou ainda um conselho ao técnico luso para o encontro da segunda mão da Liga dos Campeões, frente ao Chelsea. Para o italiano, Mário Balotelli deve jogar porque é «um fenómeno», lembrando que a vantagem sobre os londrinos é «boa, mas não definitiva.»