FC PortoGrupo GChampions

SIGA O SHAKHTAR-PORTO EM DIRECTO

«Comecei a estudar brasileiro e depois a praticá-lo. Penso que é mais fácil colocar apenas uma pessoa a aprender uma língua do que quase metade de um grupo de jogadores, cerca de 10 ou 12 brasileiros, para terem aulas de russo, o que seria muito difícil. Agora, fica tudo mais fácil. Transmito as instruções tácticas, eles entendem e consigo realizar o meu trabalho», explicou Mircea Lucescu, em português, em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM.

O técnico romeno chegou ao Shakhtar em 2004, depois de passagens pelo Inter, onde treinou o Ronaldo «fenómeno», e Besiktas, entre muitas outras, e no contrato exigiu poder contratar jogadores brasileiros.

«Reuni este grupo de jogadores e posso dizer que treiná-los é algo de muito especial. Tenho com eles quase uma relação de pai e filho. Os brasileiros são fantásticos. Para se ter uma ideia, em 2004, quando tudo começou, levávamos cerca de 25 mil adeptos ao estádio. Com este grupo de brasileiros na equipa, temos em cada jogo uma média de 50 mil torcedores. É algo incrível!», exaltou.

Os jogadores brasileiros são contratados para o meio-campo e para o ataque, já que em termos defensivos Lucescu prefere os ucranianos, destacando como exemplo o capitão Darjo Srna.

«Comigo tenho jogadores da seleção brasileira como o Jadson, o William e o Fernandinho. E outras gratas revelações e talentos como o Luiz Adriano e o Dentinho, atletas espetaculares, com um grande potencial e que um dia também espero ver na canarinha», desejou.