No ano de estreia na Liga, e mesmo sem diploma para constar na ficha de jogo como técnico principal, Rúben Amorim tem conseguido um registo absolutamente impressionante.

Entre Sporting de Braga e Sporting, o jovem técnico soma quinze jogos no principal escalão, e ainda não conheceu o sabor da derrota. De um total de 45 pontos que disputou, Rúben Amorim só deixou fugir quatro. Somou 41, portanto, o que dá um aproveitamento de 91 por cento.

É, de longe, o melhor registo entre os 32 técnicos que já comandaram equipas nesta Liga 2019/20. Só para se ter uma ideia, o FC Porto lidera com 70 pontos em 87 possíveis, o que dá a Sérgio Conceição um aproveitamento pontual de 80 por cento.

Bruno Lage deixou o Benfica depois de ter somado 64 pontos, pelo que teve um aproveitamento de 74 por cento.

Há outro dado que torna o registo de Rúben Amorim ainda mais impressionante: pelo menos para já o registo do antigo internacional português é ainda melhor no Sp. Braga do que no Sporting (93 para 89 por cento dos pontos).

Perante estes números, torna-se evidente que Rúben Amorim tem melhor aproveitamento pontual do que os outros treinadores que passaram pelos bancos de Sp. Braga e Sporting. Mais do que isso: está associado às mexidas que tiveram maior impacto neste campeonato.

Se Silas já tinha melhorado o aproveitamento pontual de Marcel Keizer em Alvalade (de 58 para 61 por cento) – pelo meio Leonel Pontes assumiu interinamente o comando do Sporting - Rúben Amorim subiu claramente a fasquia no Sporting, para os tais 89 por cento.

Em Braga a diferença foi ainda maior: basta ter em conta que Ricardo Sá Pinto estava a conseguir um aproveitamento pontual de 43 por cento, e Rúben Amorim elevou esse patamar para 93 por cento. Uma fasquia que Custódio ficou longe de acompanhar, já que voltou aos 43 por cento.

Esta foi, de resto, a única troca de treinador na Liga que teve efeito contrário, um pior aproveitamento pontual. Isto se retirarmos desta equação os técnicos interinos: Leonel Pontes (Sporting), Albert Meyong (V. Setúbal), Bruno Lopes (Portimonense) e Leandro Pires (Desp. Aves).

Ainda relativamente ao efeito das «chicotadas», destaque para a melhoria no Paços de Ferreira, que passou de um aproveitamento pontual de 8 por cento, com Filó, para 40 por cento com Pepa.

E ainda o Portimonense, que amealhou 27 por cento dos pontos com Folha, e com Paulo Sérgio apresenta um registo de 48 por cento, para já, que pode ser enquadrado na primeira metade da tabela classificativa.

 

Aproveitamento pontual dos treinadores da Liga 2019/20:

Rúben Amorim (Sp. Braga e Sporting): 41 pontos em 45 [91 por cento]

Sérgio Conceição (FC Porto): 70 pontos em 87 [80 por cento]

Bruno Lage (Benfica): 64 pontos em 87 [74 por cento]

Marcel Keizer (Sporting): 7 pontos em 12 [58 por cento]

Carlos Carvalhal (Rio Ave): 47 pontos em 87 [54 por cento]

Silas (Belenenses e Sporting): 33 pontos em 63 [52 por cento]

João Pedro Sousa (Famalicão): 45 pontos em 87 [52 por cento]

Ivo Vieira (V. Guimarães): 43 pontos em 87 [49 por cento]

Paulo Sérgio (Portimonense): 13 pontos em 27 [48 por cento]

Ricardo Soares (Moreirense): 21 pontos em 45 [47 por cento]

Daniel Ramos (Boavista): 20 pontos em 45 [44 por cento]

Albert Meyong (V. Setúbal): 4 pontos em 9 [44 por cento]

João Henriques (Santa Clara): 38 em 87 pontos [44 por cento]

Ricardo Sá Pinto (Sp. Braga): 18 pontos em 42 [43 por cento]

Lito Vidigal (Boavista): 18 pontos em 42 [43 por cento]

Petit (Belenenses): 16 pontos em 39 [41 por cento]

Vítor Campelos (Moreirense): 17 pontos em 42 [40 por cento]

Pepa (Paços de Ferreira): 30 em 75 pontos [40 por cento]

Custódio (Sp. Braga): 7 pontos em 18 [39 por cento]

Vítor Oliveira (Gil Vicente): 33 pontos em 87 [38 por cento]

José Gomes (Marítimo): 20 pontos em 54 [37 por cento]

Pedro Ribeiro (Belenenses): 13 pontos em 36 [36 por cento]

Natxo González (Tondela): 30 pontos em 87 [34 por cento]

Sandro Mendes (V. Setúbal): 8 pontos em 24 [33 por cento]

Julio Velázquez (V. Setúbal): 18 pontos em 54 [33 por cento]

António Folha (Portimonense): 14 pontos em 51 [27 por cento]

Nuno Manta Santos (Marítimo e Desp. Aves): 22 pontos em 87 [25 por cento]

Leonel Pontes (Sporting): 1 ponto em 6 [17 por cento]

Augusto Inácio (Desp. Aves): 3 pontos em 24 [13 por cento]

Filó (Paços de Ferreira): 1 em 12 [8 por cento]

Bruno Lopes (Portimonense): 0 pontos em 9 [0 por cento]

Leandro Pires (Desp. Aves): 0 pontos em 9 [0 por cento]

 

Efeito das trocas de treinador:

 

SPORTING

Marcel Keizer: 7 pontos em 12 (58 por cento)

Leonel Pontes: 1 ponto em 6 (17 por cento)

Silas: 31 pontos em 51 (61 por cento)

Rúben Amorim: 16 pontos em 18 (89 por cento)

 

SP. BRAGA

Sá Pinto: 18 pontos em 42 (43 por cento)

Rúben Amorim: 25 pontos em 27 (93 por cento)

Custódio: 7 pontos em 18 (43 por cento)

 

MOREIRENSE

Vítor Campelos: 17 pontos em 42 (40 por cento)

Ricardo Soares: 21 pontos em 45 (47 por cento)

 

BOAVISTA

Lito Vidigal: 18 pontos em 42 (43 por cento)

Daniel Ramos: 20 em 45 (44 por cento)

 

MARÍTIMO

Nuno Manta Santos: 11 pontos em 33 (33 por cento)

José Gomes: 20 pontos em 54 (37 por cento)

 

PAÇOS DE FERREIRA

Filó: 1 ponto em 12 (8 por cento)

Pepa: 30 ponto em 75 (40 por cento)

 

BELENENSES

Silas: 2 pontos em 12 (17 por cento)

Pedro Ribeiro: 13 pontos em 36 (36 por cento)

Petit: 16 pontos em 39 (41 por cento)

 

VITÓRIA DE SETÚBAL

Sandro: 8 pontos em 24 (33 por cento)

Meyong: 4 pontos em 9 (44 por cento)

Julio Velázquez: 18 pontos em 54 (33 por cento)

 

PORTIMONENSE

Folha: 14 pontos em 51 (27 por cento)

Bruno Lopes: 0 pontos em 9 (0 por cento)

Paulo Sérgio: 13 pontos em 27 (48 por cento)

 

DESP. AVES

Augusto Inácio: 3 pontos em 24 (13 por cento)

Leandro Pires: 0 pontos em 9 (0 por cento)

Nuno Manta Santos: 11 pontos em 54 (20 por cento)