Nenê

Mais dois golos na conta pessoal do melhor marcador do campeonato. Na Trofa, mostrou atributos de ponta-de-lança, primeiro com um remate certeiro na cara de Marco, depois ao lançar-se no chão para emendar um cruzamento de Patacas. Tem 17 golos e é a quinta vez que bisa na Liga. Ainda não tem alcunha, mas também resolve.

Ruben Micael

Não foi tão influente como noutras ocasiões, mas voltou a estar em bom nível. Construiu o jogo madeirense no miolo, saindo bem de situações apertadas, no reduzido relvado da Trofa. Bem no apoio aos avançados, faltaram-lhe os passes de ruptura para deixar Mateus e Nenê na cara do golo.

Alonso e Patacas

Muito do jogo do Nacional passa pelos laterais. Esta noite, Patacas e Alonso foram mais extremos do que defesas e o primeiro ainda fez uma assistência para golo, no caso o segundo. Estiveram sempre em jogo, até porque Cléber de um lado e Luz Alberto do outro faziam as dobras.

Hugo Leal

Gosta de ter a bola no pé, mas foi de cabeça que marcou. Tentou sempre jogar junto ao relvado, delineando o ataque trofense, e na segunda parte já dava sinais de alguma fadiga. Só que foi nessa altura que fez o golo e devolveu as esperanças aos adeptos da casa. Tem muito futebol nos pés, e frente ao Nacional voltou a prová-lo.