«É importante para o crescimento do clube, da cidade, dos adeptos e simpatizantes. O acreditar tem de ser um pensamento comum a todos estes elementos, esperamos o seu incondicional apoio», disse o treinador do Trofense, em entrevista exclusiva ao site oficial da equipa da Trofa.

O desempenho «intermitente», devido, essencialmente, «à irregularidade nos jogos disputados em casa» é, para Tulipa, uma das causas para o antepenúltimo lugar da classificação, mas não reflecte a qualidade do plantel. «Julgo que o potencial da equipa é merecedor de um maior número de pontos e de uma melhor qualificação», defendeu o técnico.

«Os jogos com o P. Ferreira e o V. Setúbal são, para mim, os menos conseguidos e mais penalizantes em termos classificativos. Temos de ter mais agressividade, concentração e qualidade», acrescentou Tulipa, referindo-se ao facto de, nos últimos quatro desafios em casa, o Trofense ter somado apenas dois pontos em 12 possíveis.

A interrupção no campeonato chegou, por isso, numa altura importante, considerou o treinador. «Esta paragem permite-nos rectificar algum tipo de comportamento e trabalhar com mais pormenor a preparação do próximo encontro. Convém lembrar que passámos por uma situação idêntica após o jogo do Restelo e, com enorme competência e atitude por parte dos atletas, acabámos por sair de uma situação mais difícil», recordou.

O Marítimo, nos Barreiros, é o adversário que se segue. «Esperamos um comportamento digno da nossa equipa e que isso se traduza na conquista de pontos», concluiu Tulipa, na antevisão da 23ª jornada, agendada para o primeiro fim-de-semana de Abril.