O Milan emitiu um comunicado a reagir ao castigo imposto pela UEFA devido ao desrespeito do clube pelo fair-play financeiro, assumindo culpas e aceitando o ano de afastamento das competições europeias que lhe foi imposto.

«Apesar de triste porque os nossos adeptos não poderão ver a equipa nas competições europeias na próxima temporada, o clube reconhece e respeita o fair play financeiro e reconhece que não tem outra opção a não ser aceitar as sanções enquanto procura trilhar um caminho de volta ao cumprimento total das regras», lê-se na nota emitida.

No mesmo documento, os responsáveis do Milan apontam as culpas ao anterior proprietário.

«O atual acionista maioritário assumiu o clube em julho de 2018, herdando perdas acumuladas substanciais após o proprietário anterior do AC Milan não cumprir com obrigações de débitos. Essas perdas e a violação do fair play financeiro são lamentáveis e uma infeliz consequência das ações do proprietário anterior», conclui o comunicado.