Ulisses Morais e José Mota, treinadores da Naval e do Leixões, respectivamente, em declarações no final da vitória da formação da Figueira da Foz por 1-0:

Ulisses Morais, treinador da Naval:

«O Leixões foi a melhor equipa que passou no nosso estádio e que nos criou mais dificuldades. Há um conjunto de situações mais importantes do que o romantismo. O Leixões fez tudo para ganhar, teve melhor posse de bola, fez melhor circulação, só não foi melhor na atitude e no querer. Estou contente com o que os meus jogadores fizeram, fizeram tudo para ganhar e com menos brilhantismo do que o normal, conseguiram a vitória. Uma vitória que aconteceu porque a atitude foi outra. O Leixões tem razões para lamentar a falta de sorte, mas já fui romântico de mais.»

José Mota, treinador do Leixões:

«Existiram diferenças entre a primeira e a segunda parte, não só a nível da circulação da bola, mas também da forma como as nossas linhas jogaram mais adiantadas. Por isso tivemos mais domínio territorial e criámos mais situações de finalização. Este jogo vale pelo golo que a Naval faz, num canto. Sabíamos que é uma equipa agressiva para finalizar as bolas paradas. Fomos sem dúvidas melhores do que a Naval, por isso merecíamos ter outro resultado. Pela forma como mantivemos sempre a chama acesa, esta derrota é muito ingrata para o que os meus jogadores fizeram. A questão dos salários em atraso não é questão. Como se viu hoje, continuámos a trabalhar como sempre.»