Com o benfiquista Maxi Pereira no onze e o portista Jorge Fucile a entrar perto do fim (aos 82 minutos), a «Celeste Olímpica» conseguiu um triunfo muito importante para pelo menos garantir o quinto lugar, o último que pode valer o apuramento através de um playoff com uma equipa asiática, uma vez que tem três pontos de vantagem sobre a Venezuela e menos um jogo realizado.

Depois de um bom início dos peruanos, e com Forlán a ser obrigado a sair aos 25 minutos por lesão, os uruguaios apoiaram-se em Suárez para chegar à vitória. O avançado do Liverpool sofreu um penálti aos 42 minutos, que converteria para colocar a sua seleção na frente, sem hipóteses para Raúl Fernández.

Em cima do intervalo, os da casa ajudaram. Yoshimar Yotun foi expulso por levantar Suárez do chão, depois de o ponta de lança ter sofrido uma entrada muito dura. E, aos 67, os visitantes aproveitaram a superioridade numérica. Stuani, o suplente de Forlán, levou a bola e colocou-a na perfeição para a finalização irrepreensível de Suárez, de primeira.

A seis minutos do fim, Jefferson Farfán reduziu, na conversão de um livre direto.

Num dos outros jogos da noite, o Chile também ajudou os homens de Tabárez ao bater a Venezuela por 3-0 (Eduardo Vargas, 11; Marcos Gonzalez, 30; e Arturo Vidal, 84).

Argentina e Venezuela lideram com 26 pontos (em 13 jogos), segue-se o Chile com 24 (14), Equador com 21 (13) e Uruguai 19 (13). A Venezuela tem 16 (14), o Peru 14 (13), o Paraguai 11 (13) e a Bolívia 10 (14).