A equipa sadina continua muito sólida defensivamente, como tem sido regra com o atual técnico, e depois não renega nenhum presente. Especialmente com o Natal a aproximar-se. Um perda de bola da Académica na defesa permitiu a Ricardo Horta apontar o tento do triunfo.

Frio equilíbrio

Ambas as equipas entraram em campo moralizadas, com o Vitória invicto sob o comando de José Couceiro e a Académica embalada pelo triunfo sobre o tricampeão FC Porto.

E Sérgio Conceição bem quis apresentar o mesmo «onze» no Bonfim, mas não foi possível. O nome de Makelele ainda apareceu na ficha de jogo como titular, mas o camisola 8 da Briosa ressentiu-se de lesão e cedeu o lugar a Marcos Paulo.

E foi este titular de última hora a protagonizar o primeiro remate do jogo, aos 3 minutos, mas sem grande perigo. O Vitória respondeu com um remate de Rafael Martins que surpreendeu Ricardo, uma vez que o guarda-redes da Académica defendeu com muita dificuldade.

Mas na verdade foi a equipa visitante que entrou melhor no jogo, mesmo com um futebol excessivamente direto, também por mérito do adversário, que por vezes forçou isso mesmo. Mas mostrando-se mais forte nas denominadas segundas bolas, à entrada da área, a Académica foi mais ofensiva na fase inicial do jogo. Logo aos nove minutos Magique apareceu solto ao primeiro poste, a cabecear, mas a bola saiu à figura de Kieszek.

O guarda-redes sadino teve de aplicar-se um pouco mais logo a seguir, perante um remate colocado de Cleyton, defendido junto ao poste (10m).

Nos últimos dez/quinze minutos da primeira parte é que Vitória teve mais bola e chegou à baliza de Ricardo com outra regularidade, mas Rafael Martins e Cardozo não conseguiram desviar um belo cruzamento de Miguel Pedro, ao minuto 41, e mesmo à beira do descanso Cardozo cabeceou para defesa de Ricardo, após cruzamento de Rafael Martins.

No aproveitar é que está o ganho

O início da segunda parte não foi fácil para Sérgio Conceição, que se viu obrigado a substituir Fernando Alexandre e Ivanildo por lesão. Por consequência o jogo teve muitas paragens neste período, pelo que foi preciso esperar pelo minuto 70 para assistir a uma ocasião de golo.

E que ocasião, diga-se!! Ramon Cardozo apareceu solto na área, tirou Halliche da frente e depois rematou de pé esquerdo, mas Ricardo evitou o golo sadino com uma espantosa defesa.

Quatro minutos depois o guarda-redes da Académica voltou a defender um remate de Cardozo, mas a bola ressaltou para trás e Ricardo Horta aproveitou para marcar. Um tento que nasce de um erro da Briosa, que perdeu a bola em zona recuada, depois de um passo do lado esquerdo para um dos centrais, no caso Aníbal Capela.

A Académica ainda tentou o empate, mas nem sequer conseguiu criar numa ocasião clara para o alcançar. E já em período de descontos ainda perdeu Halliche, expulso por empurrão a Ney.