Maisfutebol

«Infelizmente não há muitas conclusões. Estamos com vários salários em atraso mas decidimos continuar em frente, aguentar a situação e tentar salvar a equipa rapidamente em termos desportivos. Quando isso estiver assegurado, cada um decide o que fazer», explicou o capitão vitoriano.

«A única pessoa que nos vai dando alguma esperança é o senhor Carlos Costa [antigo presidente do clube], que ainda a semana passada nos veio visitar. É uma situação ingrata, dura, temos de ter muita força.»

Sandro negou depois as notícias que apontavam para uma greve aos treinos. O médio assegurou que a equipa «não pensa nisso» e que hoje, apesar de não ter subido ao relvado, esteve a fazer «trabalho de ginásio e a ver vídeos do Sp. Braga».

O Vitória de Setúbal recebe, no Estádio do Bonfim, o Sp. Braga às 16 horas do próximo sábado.