Damián Martinez é um guarda-redes argentino. Wellington Silva é extremo e nasceu no Brasil. Da Bolívia, chegou o ponta-de-lança Samuel Galindo. Eles serão o futuro do Arsenal, contratados com apenas 16 anos. Nenhum deles é inglês, mas essa crítica fica para os inúmeros adeptos contestatários da política.

Wellington custou 4 milhões de euros, apresentando-se no Arsenal em Janeiro de 2011. Até lá, ficará no Fluminense. Damian Martinez, um guarda-redes descoberto no Independiente da Argentina, assinou em Agosto mas continuará no seu clube por mais um ano. Custou 1,6 milhões de euros. Samuel Galindo, revelado pelo Real America, chegou a Londres em Janeiro. Ficou por 500 mil euros, mais objectivos.

Sandro Orlandelli, olheiro do Arsenal na América do Sul, apresenta dezenas de relatórios. Denilson já está na equipa principal dos «gunners». Pedro Botelho, um brasileiro com passaporte português, foi contratado em Janeiro de 2008 mas nunca viveu em Inglaterra. Foi emprestado a Salamanca e Celta de Vigo. Na altura, o clube londrino também queria capturar um jovem argentino, de nome Angel Di María. Em vão.

Wellington Silva, agora com 17 anos, é o diamante mais ansiado da fornada. Traquina, gingão ao estilo brasileiro, palmilha todos os espaços do meio-campo para a frente. Corre, finta, vem para trás e finta mais um pouco. Franzino, o extremo destacou-se num torneio em plena Inglaterra, com vitória final para o Flu. Pouco depois, estava em Londres para um período de experiência. Com apenas 15 anos. Em Janeiro de 2010, a contratação foi selada.

O Fluminense tenta aproveitar o miúdo enquanto pode. A 28 de Fevereiro, Wellington Silva chegou ao onze. Um golo e uma assistência. Deixou água na boca. «É uma pena. Temos de desfrutar dele enquanto possível», desabafa o treinador Cuca. Pouco depois, Wellington fala. Fala e chora. É mais um miúdo vindo do nada, das favelas do Brasil. Chegou e já foi embora.

Denilson, médio já ambientado ao Arsenal, falou sobre Wellington após a goleada frente ao F.C. Porto. «Ele esteve aqui há pouco tempo, jantei com ele, dei-lhe conselhos. Vem em Janeiro e é mais um menino, que precisará de ajuda, como eu precisei. Depois é esperar, valor ele tem», disse o brasileiro, ao Maisfutebol.

Samuel Galindo também entusiasma, mas o seu passado recente foi assombrado por uma reportagem da televisão boliviana. Teria 20 anos e não 17, como afirma. Foi contratado para ser emprestado e já chegou à selecção principal da Bolívia, impressionando pela estampa física. Sobre Damián Fernandez, escasseiam informações e imagens . Esperar para ver.

Wellington Silva

Samuel Galindo