Lito Vidigal:

«Não fizemos nada neste jogo que não tenhamos feito em outros, em que fomos superiores aos adversários e criámos oportunidades. Hoje [sexta-feira] fomos felizes, foi um jogo interessante, calmo, os jogadores estiveram seguros, mas também conscientes que estão a desenvolver um bom trabalho. Fomos felizes na finalização, o Carlão marcou um golo, não marcava mas estava o Cássio a marcar, mas quero dizer que se estamos nesta posição deve-se a todos os jogadores. Continuamos a alimentar [o sonho das competições europeias], é claro que vai ser difícil, mas acreditamos que é possível. Ganhando ou perdendo vamos continuar a trabalhar e a acreditar que é possível conquistar tudo o que imaginámos.»

Castro Santos:

«Ajudaram a U. Leiria a vencer. A minha equipa esteve bem, teve o jogo controlado, sobretudo na primeira parte. [O penalty] foi uma jogada muito duvidosa, o avançado aproveita-se, é um golo imerecido. Também houve erro nosso, como no segundo, mas também houve a expulsão de Joel, quando ele só joga a bola, e um autogolo anulado que podia ter relançado o jogo. O calendário é duro, demonstrámos que estamos vivos, cometemos erros, mas não fomos inferiores a uma equipa que está a fazer um grande campeonato. O relvado esteve demasiado inclinado. Finais? São todos os jogos desde que cheguei aqui.»