«Alguns estão a usar a Câmara Municipal como bode expiatório para os seus próprios erros de gestão», referiu Maria das Dores Meira, lamentando «os ataques constantes e não identificados de que a autarquia tem sido alvo nos últimos meses na comunicação social por parte da direção do Vitória».

Com o objetivo de refutar a ideia de que a Câmara «está de costas voltadas com o clube» e não o apoia, Maria das Dores Meira sublinhou que a autarquia tem nos últimos anos ajudado, totalizando uma verba superior a seis milhões de euros.

«Só entre 2002 e 2015, em doações de terrenos e outros imóveis, apoios financeiros, em despesas variadas quantificadas, isenções do pagamento de taxas de utilização de equipamentos municipais desportivos, a Câmara concedeu ao Vitória o equivalente a mais de seis milhões de euros, inclusivamente através da cedência de terrenos valiosos.»

Entre os apoios prestados, acrescentou, é ainda necessário destacar o papel desempenhado pelo município para permitir que a equipa de futebol profissional se inscrevesse na Liga em 2015/16.

«Ajudámos na procura de soluções junto das Finanças para que o futebol profissional do clube se pudesse inscrever nesta época e ajudámos no estabelecimento de relações privilegiadas junto de entidades bancárias.»

Instado a comentar as declarações da presidente da Câmara Municipal de Setúbal, o o presidente Fernando Oliveira prometeu responder na próxima semana, em conferência de imprensa.