O F.C. Porto já assegurou receitas de 13,3 milhões de euros, só em prémios, na presente edição da Liga dos Campeões: quatro vitórias (3,2 milhões) na fase de grupos, ontem concluída, seis jogos disputados (mais 3,3 milhões) e o apuramento para os oitavos-de-final (mais 3 milhões), sem esquecer o prémio de entrada de 3,8 milhões.

At. Madrid-F.C. Porto: crónica e fotos

A estes valores há a somar, ainda, as receitas de bilheteira e, sobretudo, aquilo a que a UEFA chama receitas de «market pool», que correspondem a verbas distribuídas em função do valor do mercado televisivo de cada país e, normalmente, definidas na totalidade no fim da prova.

O F.C. Porto, único clube português na competição, deve receber uma verba substancial. A estimativa é de 5,4 milhões de euros, o que, a confirmar-se, eleva o total de ganhos dos «dragões» para 18,7 milhões de euros e fará desta a época mais lucrativa de sempre, superando, inclusive, a temporada 2003/04, quando a caminhada até ao título europeu rendeu 18,4 milhões de euros.

Recorde-se que só à cabeça o F.C. Porto encaixou 7,1 milhões de euros (entrada e seis jogos) e cada uma das quatro vitórias rendeu 800 mil euros (um empate daria 400 mil).