Dois golos nos primeiros 15 minutos e uma incrível bomba de Hulk perto do final enfeitaram mais uma bela noite europeia do F.C. Porto. Uma noite que reforça o prestígio europeu e a saúde dos cofres azuis e brancos. Uma noite que comprova que este Porto pode ambicionar fazer tanto ou melhor na Liga dos Campeões do que na temporada passada.
Champions: resultados, marcadores e apurados
Estes dragões estão em clara curva ascendente. No pretérito ano resgataram o equilíbrio em Novembro, esta época ele chega com algumas semanas de atraso. Mas ainda muito a tempo. Incisivo, inclemente, o F.C. Porto não teve qualquer misericórdia com um Atl. Madrid que chega a ser confrangedor.
FICHA DE JOGO
Jesualdo Ferreira começa a conseguir solidificar esta estrutura. Sem pressão, a equipa foi capaz de marcar três golos sem precisar sequer de carregar no acelerador. O F.C. Porto limitou-se a ser sério e competente. E que jeito isso dá na alta roda europeia do futebol.
Bruno Alves voa e Falcao aproveita
O voo de Bruno Alves aos dois minutos abriu de espanto as bocas dos espanhóis. Bola tensa ao segundo poste num canto apontado por Raul Meireles - lance claramente de laboratório - e cabeçada vigorosa do central.
O débil Atletico abana, treme e sofre antes do quarto-de-hora o segundo golpe. Remate de Fucile, defesa trapalhona de Asenjo e recarga vitoriosa de Falcao. Com dois golos de vantagem, perante uma equipa macia, com claros problemas nos processos defensivos, o F.C. Porto respirou de tranquilidade.
AO MINUTO
Entregou a posse de bola ao adversário, ocupou com concentração os espaços e beneficiou da profunda inimizade dos atacantes do Atletico com o golo. Forlan, por exemplo, o homem que mais remata nesta Liga dos Campeões, desperdiçou uma série de pontapés prometedores. Mesmo com o bloco defensivo do Porto a conceder alguns espaços. Compreensíveis, perante tamanha superioridade.
Maicon e Valeri: Jesualdo «ganha» mais dois jogadores
A maré azul e branca ondula de poder, espalha-se vigorosa. Jesualdo ganha elementos novos, cimenta as opções ao seu dispor e, da teoria, o valor do plantel passa à prática. Maicon cumpriu muito bem ao lado de Bruno Alves, até se lesionar, Diego Valeri somou quilómetros e confiança na sua estreia absoluta entre as primeiras escolhas.
O argentino cedido pelo Lanús, por duas épocas, é um médio competente e equilibrado. Precisa jogar mais vezes, ganhar conforto no contacto com a bola e com os colegas. Sabe jogar, joga simples e é consciente.
A vitória do F.C. Porto foi tranquila, às vezes pareceu demasiado fácil. Mas a incompetência do adversário não pode atenuar o grande mérito dos tetracampeões nacionais.
Este F.C. Porto começa a criar asas para altos voos.