Há músicas que são mais do que apenas música: são marcas de identidade que se colam à pele dos clubes e que adquirem um valor tão grande como as camisolas ou o símbolo.

São os hinos oficiais.

Geralmente ouvem-se no estádio, na entrada das equipas em campo, num momento solene de cada jogo, e são cantadas em únissono pelos adeptos.

Adepto que se preze, aliás, conhece o hino do respetivo clube de uma ponta à outra.

Ora o que o Maisfutebol pretende agora é dar a conhecer todos os hinos oficiais do clube. Ou quase todos, pronto. Há um clube que é exceção, por não ter um hino: o Tondela.

Sobram por isso dezassete hinos, que são ouvidos todos os fins de semana por esses estádios fora, de Moreira de Cónegos a Portimão, de Chaves ao Funchal.

Venha daí nesta viagem, ouça os hinos de todos os clubes e vote no que considera mais bonito. A sondagem está no final deste artigo e a votação decorre até à próxima sexta-feira. Depois cá estaremos para dar conta dos resultados finais.

Boa viagem.

BENFICA: Ser benfiquista

Cantado por Luís Piçarra, foi escrito por Paulino Gomes Júnior (letra e música) em 1953. Foi apresentado pela primeira vez num sarau para angariação de fundos para a construção do antigo Estádio da Luz. Curiosamente este hino foi criado depois do hino inicial - «Avante pelo Benfica» - ter sido proibido pelo Estado Novo.

 

FC PORTO: Grito só de todos nós

Foi criado em 1922, tem letra de Heitor Campos Monteiro e melodia do maestro António Figueiredo e Melo. Era cantado inicialmente pela banda Asilo do Terço nos intervalos dos jogos, tendo a versão que conhecemos atualmente, cantada por Maria Amélia Canossa, sido gravada no Teatro São João para a inauguração do Estádio das Antas.

 

SPORTING: Marcha do Sporting

Cantada por Maria José Valério, a Marcha do Sporting tem letra da autoria de Eduardo Damas e música de Manuel Paião. Foi gravada pela primeira vez em 1960, sendo a cantora acompanhada pela Orquestra Ligeira da Emissora Nacional.

 

SP. BRAGA: Hino-Marcha do Sporting Clube de Braga

Chama-se «Hino-Marcha do Sporting Clube de Braga» e foi composto em 1926 pelo Capitão Guilherme da Piedade, a troco de 60 escudos. Foi escrito para quarteto de cordas com piano, e foi interpretado pela primeia vez no Teatro Circo, pela banda do Colégios dos órfãos de São Caetano, durante um espetáculo de homenagem ao Sp. Braga.

 

V. GUIMARÃES: Hino do Vitória

Com letra e música de Dino Freitas, o Hino do Vitória foi composto em 1986. Na presidência de Vítor Magalhães chegou a ser afastado do sistema sonoro do estádio e substituído por uma música de José Alberto Reis, mas voltou anos depois.

 

MARÍTIMO: Saudação ao Marítimo

Foi composta, letra e música, e interpretada pelos Irmãos Freitas, tendo sido cantada pela primeira vez quando o Marítimo chegou de barco de uma digressão a África, em 1955, onde fez doze jogos particulares. Daí o nome de Saudação ao Marítimo.

 

P. FERREIRA: Mundo amarelo

Composto, letra e música, pela agência Filhos da Pub, por altura de uma renovação de imagem do clube, foi adoptado como música oficial em 2013, ouvindo-se por exemplo em todos os jogos na entrada das equipas: a altura em que costuma tocar o hino. Veio substituir uma música - «És o maior, Paços de Ferreira - que tinha sido criada em 1991.

 

MOREIRENSE: Hino do Moreirense

Da autoria de Dino Freitas - o mesmo músico que compôs o Hino do Vitória, do V. Guimarães -, o Hino do Moreirense é cantado pelo próprio Dino Freitas e pela filha Francisca Freitas.

 

ESTORIL: És Estoril

Com letra e música dos Ténis Bar, uma banda de Cascais, foi composto em 2014, por altura dos 75 anos do Grupo Desportivo Estoril-Praia. É interpretado por Tozé Pirata, o vocalista da banda, e veio substituir um hino dos anos 40 que se tinha perdido no tempo e não era por isso ouvido no António Coimbra da Mota.

 

RIO AVE: Hino do Rio Ave FC

Foi criado em 1959, tendo letra do Padre Caeiro, da Escola Profissional de Santa Clara, e música do Grupo Coral de Santa Clara, que também começou por o interpretar. A versão atual é cantada por Filipe Fonseca, do Projeto Ternura dos 40. Curiosamente este já é o segundo hino do Rio Ave, tendo substituído um outro composto em 1943.

 

BOAVISTA: Hino do Boavista 

Tem letra e música de Manuel de Almeida.

 

BELENENSES: Hino de Os Belenenses

Cantado por Margarida Amaral, com acompanhamento de um coro misto, tem música de Mário Teixeira e a letra de Silva Tavares.

 

FEIRENSE: Hino do Feirense

Com letra de Ernesto Campos e música de Carlos Marques, o Hino do Feirense é interpretado por Mafalda Campos, acompanhada pela Orquestra Ligeira de Escapães.

 

V. SETÚBAL: Marcha do Vitória

A Marcha do Vitória é o hino oficial do Vitória de Setúbal. Da autoria de Feliciano F. Silva, a marcha é interpretada pelos «Terno D'ouros».

 

PORTIMONENSE: Expoente algarvio

O hino do Portimonense chama-se «Portimonense, expoente algarvio» e tem letra e música de Jorge Brandão.

 

DESP. CHAVES: Hino do Desportivo de Chaves

O Hino do Desportivo de Chaves tem letra de Barroso da Fonte e música de Carlos Emídio Pereira. Inicialmente era cantado por Maria José, mas atualmente a versão mais ouvida tem a voz de Ágata.

 

DESP. AVES: Hino do Clube Desportivo das Aves

Letra e música de de João Gomes, maestro da Banda de Música da Fábrica do Rio Vizela

Qual é o hino de clube mais bonito?

  •  27%
  •  20%
  •  18%
  •  7%
  •  5%
  •  3%
  •  1%
  •  1%
  •  2%
  •  2%
  •  4%
  •  4%
  •  0%
  •  3%
  •  0%
  •  3%
  •  1%
+ sondagens Ver resultados