Paulo Bento, treinador do Sporting, após a vitória sobre a Naval (3-1), em declarações na «flash interview» da SportTV:

«Estou mais satisfeito com o resultado do que com a prestação. Bom resultado, vitória justa, num jogo sem grandes oportunidades, mas que não controlámos tão bem como na ultima jornada. Não jogámos bem, tivemos alguma dificuldade para ter a bola, para fazer circular a bola, e depois porque nalguns momentos, e mais na segunda parte, houve alguma intranquilidade que não era de todo desejável nem normal. Para o próximo jogo teremos que estar mais perto do que fizemos em Matosinhos e nos jogos anteriores. Não nos podemos enganar, neste jogo temos mais coisas para corrigir, nomeadamente em termos ofensivos.»

(Sobre os assobios a Miguel Veloso, após o erro que ditou o golo da Naval) «O único que não pode cometer erros sou eu, que não jogo. Com os jogadores em alguns momentos acontecem erros. Penso que o Miguel fez um jogo diferente do que fez em Matosinhos, mas fez um jogo com boa atitude. Os erros são para assumir em termos colectivos, se alguém tem que os assumir em termos individuais sou eu. Mas a equipa reagiu, conseguiu colocar-se outra vez em vantagem e na segunda parte, nem sempre da melhor forma, mas foi conseguindo colocar o adversário em sentido.»

Ulisses Morais, treinador da Naval

«Fizemos um jogo forte e determinado, no sentido de não perdermos o nosso perfil.

Dizer à equipa que tinha de recuar 50 metros, para depois dizer daqui a uma semana que tinha de jogar de forma diferente, não me parece que seja coerente. O que fizemos hoje foi vir jogar futebol, sem perder a identidade.»

«Este terceiro golo veio completamente fora de tempo. O Sporting não nos amarrou, não nos comandou durante o jogo todo. O que penso é que nalguns momentos fomos um pouco românticos e também menos felizes.»

«Tirando o romantismo, em que custa a perceber alguns jogadores, não temos porque ter qualquer tipo de receio e de dúvida de que vamos ter a Naval para o ano na Liga.»