O dinheiro fresco encontrou eco na satisfação de todos os elementos axadrezados, que entrarão naturalmente motivados para a partida contra o Olhanense, no Estádio do Bessa.

Nesta altura ficam por saldar quatro meses de salários, embora, segundo confidenciou ao Maisfutebol fonte da SAD axadrezada, alguns jogadores tenham a situação financeira praticamente regularizada. Nomeadamente aqueles que não dependem em exclusivo do Boavista.

O avançado Sidnei, por exemplo, é um desses casos. Parte do passe do atacante pertence a uma empresa que, ainda no passado mês, lhe entregou uma soma avultada, evitando que o atleta saísse precocemente do Bessa.

O Boavista ocupa nesta altura o 14º posto da Liga de Honra, seis pontos acima da linha-de-água.