Não tem toda.

Mas tem alguma.

O Benfica está melhor do que na época passada. Melhor três pontos. Não é muito, mas chega para dar razão ao treinador.

O problema do Benfica não é, de facto, o que está a conseguir na temporada 2008/09. Como dizem os números, a coisa até nem está assim tão má. O problema do Benfica é muito mais profundo e tem a ver com uma contínua ausência de boas decisões. E isso não é culpa de Quique Flores, mas sim de Luís Filipe Vieira, o presidente.

No meu entender, oito anos são tempo suficiente para perceber que o presidente do Benfica não acerta. Pode ser falta de pontaria, azar ou incompetência. Escolha o leitor. O facto é este: não ganha. Os treinadores mudam, o presidente mantém-se. O insucesso também.

Isto de ganhar é o resultado de muitas coisas juntas. Um treinador que acerta, uma palavra que se diz no balneário, os jogadores que se contratam e dispensam, as críticas que se fazem aos árbitros e desculpam os lapsos próprios. São dezenas de pequenas-grandes decisões.

Sinceramente, acho que Quique Flores deve continuar no Benfica. Porque não é nem melhor nem pior do que outros treinadores que passaram pela Luz desde 2001, quando Luís Filipe Vieira assumiu a gestão do futebol. Contrariando a onda, nesta altura o «desce» não deve ser para o treinador.

P.S. : Claro que Quique Flores não percebeu algumas coisas óbvias, mas quem não se lembra das críticas que Jesualdo Ferreira recebeu no início da temporada? Ou das fragilidades apontadas ao losango de Paulo Bento? Criticar um treinador é fácil. Difícil é saber apoiá-lo. Não através de discursos, mas sim com real convicção.