Siga AO VIVO

O F.C. Porto volta a Coimbra este sábado depois de ai ter empatado (0-0) para a Taça da Liga, em Janeiro. Será o quarto encontro da época entre estas duas equipas e, dos anteriores, ressalvam as dificuldades dos dragões para bater uma equipa incómoda, liderada por um ex-funcionário da casa.

O contexto desta partida é que será bem diferente do cenário das anteriores. Os tetracampeões chegam à cidade do Mondego ainda sob as ondas de choque da inesperada derrota por 5-0 em Londres e, nestas alturas, é corrente esperar, como alguém um dia disse, que o próximo adversário pague a factura.

O terreno, em teoria, não poderia ser mais propício à redenção portista. Há 39 anos que a Académica não bate os azuis e brancos em casa. Falta, pois, passar da teoria à prática mesmo que o atraso actual dos comandados de Jesualdo Ferreira (11 pontos para o líder Benfica) possa ser já irrecuperável por esta altura. Está em causa o orgulho do Dragão e, quando assim é, a motivação costuma falar mais alto.

De outra forma, as contas começam a complicar-se. Depois da goleada frente ao Arsenal, o F.C. Porto somou o terceiro jogo consecutivo sem vencer - anteriormente perdeu por 3-0 em Alvalade e empatou (2-2) em casa com o Olhanense - , e caso não consiga o almejado golpe de asa, poderá precipitar-se para um final de época penoso e de consequências inevitáveis para quem está no comando.

Luiz Nunes titular seis meses depois na ausência de Helton e Fucile

A convocatória de Jesualdo Ferreira para este jogo não deixa ninguém indiferente. A começar por um dos jogadores que o professor decidiu deixar de fora. A ausência de Fucile tem, necessariamente, de ser relacionada com o desastre de Londres. Para uns, será castigo, para outros uma forma de proteger o jogador depois de uma noite verdadeiramente infeliz. Também Helton não poderá participar na partida, mas devido a um problema num ombro.

Além do guarda-redes e do lateral-direito, também Nuno André Coelho e Hulk, suspenso das competições nacionais, saem do onze em relação ao jogo com os ingleses, salvo alguma surpresa de Jesualdo Ferreira.

Do lado da Académica, à procura dos três pontos que a coloquem definitivamente a salvo na tabela, a grande novidade será o regresso de Luiz Nunes, cujo nome não figurava numa ficha de jogo como titular desde 13 de Setembro do ano passado, em Olhão. Uma lesão e a aposta de Villas Boas na dupla Orlando/Berger têm mantido o experiente central brasileiro de fora das opções, nas quais se devem incluir ainda o médio Cris, de regresso após castigo.

Equipas prováveis:

ACADÉMICA: Ricardo; Pedrinho, Orlando, Luiz Nunes e Emídio Rafael; Nuno Coelho, Tiero e Cris; Sougou, Éder e João Ribeiro.

Suplentes: Rui Nereu, Hélder Cabral, Bru, Paulo Sérgio, Diogo Gomes, Lito, Bibishkov e Vouho.

F.C. PORTO: Nuno; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Tomas Costa, Raúl Meireles e Rúben Micael; Varela, Falcao e Rodríguez.

Suplentes: Beto, Nuno André Coelho, Addy, Guarin, Belluschi, Valeri e Mariano.