Depois de ter participado numa competição no Sri Lanka, a equipa norte-coreana viajou com destino ao Chile, mas durante a escala em Paris foi informada do sismo. Sem vistos para permanecer em França, a comitiva teve de esperar dois dias no aeroporto!

A federação Venezuela acabou por resolver o impasse, propondo um jogo particular para quinta-feira, para além de um outro que já estava agendado para sábado. A selecção da Coreia do Norte viajou então para a América do Sul, mas à chegada deparou-se com mais um contratempo: vinte malas foram extraviadas, pelo que os equipamentos ficaram pelo caminho.

A comitiva norte-coreana chegou à Venezuela na noite de quarta-feira. Na manhã desta quinta-feira o técnico Kim Jong-hun decidiu improvisar um treino no parque de estacionamento do hotel. Perante tantos problemas, e com cansaço acumulado, a selecção da Coreia do Norte manifestou a vontade de cancelar o jogo desta quinta-feira. A federação venezuelana procura manter o compromisso, uma vez que já foram vendidos mais de 10 mil bilhetes e o governo da província de Yaracuy investiu mais de 75 mil euros na organização do encontro, em San Filipe.

De acordo com a reportagem da «Globoesportes», a segurança em redor da equipa norte-coreana é muito apertada. Só o seleccionador está autorizado a prestar declarações, mas tem evitado o contacto com os jornalistas. Os responsáveis pedem insistentemente que não sejam tiradas fotos aos jogadores, nem tão pouco vídeos.