O primeiro é a lesão de Salvio. O argentino rompeu um ligamento cruzado do joelho, foi operado e esperam-no meses de recuperação.

Também no embate com o Sporting se lesionou Gaitán. No boletim clínico divulgado, o clube da Luz referiu que o argentino apresentava uma «lesão muscular da face posterior da coxa esquerda» e efetuava tratamento. A julgar pelas imagens televisivas, Gaitán poderá ter de parar alguns dias, se não semanas, o que coloca em sérias dúvidas a sua utilização. Se é que a perspetiva de que seja opção alguma vez passou pela cabeça do departamento médico dos encarnados. Em caso de ter existido uma microrrotura, Gaitán não estará de certeza.

No Sérvia-Croácia, de apuramento para o Mundial 2014, Sulejmani, apontado como sucessor de Salvio na direita, sofreu uma entrada brutal, que lhe deixou marcas na perna direita, como se pode ver num dos jornais desportivos deste domingo.

De uma assentada, o Benfica perdeu Salvio, e poderá ter ficado também sem Gaitán e Sulejmani, embora a gravidade da situação do sérvio aparente ser menor do que a do argentino.

No plantel, há Ola John e Markovic para as duas asas da equipa e pouco mais. Há, se Jesus quiser, ainda Enzo Pérez, devolvendo-o à posição de origem, recuperando Amorim ou estreando Fejsa no onze - fez dupla na seleção com Matic. Yannick e Urreta, também inscritos (tal como Carlos Martins), parecem longe de ser opção nesta fase.

As mudanças não deverão ficar por aqui. E continuam nas alas. Os encarnados contrataram Siqueira no último dia de mercado, e deixaram Cortez de fora da Liga dos Campeões. Tudo indica que o lateral ex-Granada seja para lançar já, o mais depressa possível, no onze.

Do outro lado, Maxi está fora de forma e, apesar de o erro ter sido absorvido pelo grupo, pode também ele ter o lugar em risco. É que, na terça-feira à noite (23 horas em Portugal), o Uruguai defronta a Colômbia na qualificação para o Mundial e a «Celeste Olímpica» ainda não tem seguro o apuramento. O quinto lugar, que ocupa, dar-lhe-ia um playoff frente a uma equipa asiática, mas ainda há adversários por perto, como a Venezuela, a três pontos. Maxi, a julgar pelos últimos encontros, voltará a ser opção de Tabárez.

De Maxi poderemos sempre dizer que terá pela frente um jogo difícil - a Colômbia, de James, Falcao, Jackson e Quintero é um dos líderes, a par da Argentina - e uma longa viagem pela frente. No máximo fará dois treinos, quinta e sexta-feira, dependendo de horários e voos. André Almeida poderá estar na calha para substituir o uruguaio.

A tudo isto, soma-se mais uma incógnita: Cardozo. Pazes feitas, o paraguaio estará pronto para jogar de início? Se sim, Rodrigo perderá o espaço que teve nos dois últimos jogos. Lima ficará mais solto. Em caso de negativa, «Tacuara» terá o banco à sua espera e, provavelmente, mais uns minutos para ganhar ritmo. Uma coisa é certa, o Benfica pode mudar como do dia para a noite.

Seria surpresa um onze assim?: