Foi resistindo enquanto pôde João Sousa. O primeiro set entre um jogador português e um nº1 mundial num torneio do Grand Slam demorou apenas 28 minutos e o português não conseguiu meter sequer um jogo. No final do primeiro parcial, inclusivamente, Sousa teve de ser assistido uns minutos na coxa esquerda pelo médico.

Já com algum evidente cansaço, o segundo set mostrou, entretanto, o melhor de João Sousa; quando o jogador português acabou por meter os dois primeiro jogos e até fez levantar o público das bancadas do Arthur Ashe Stadium - nem mais nem menos que o court principal de Flushing Meadows - com vários pontos de muita qualidade trocados com Djokovic.

Mas o sérvio faz questão de não brincar e levou muito a sério o encontro. E também não gosta que os outros festejem pontos. E, assim, não abrandou (quase nada) o ritmo. Mas o cansaço afeta todos. E João Sousa não só conseguiu meter mais um jogo no terceiro set, como conseguiu quebrar o serviço quando Djokovic servia para fechar o encontro reduzindo para 2-5.

Na resposta, o nº1 aplicou um contra-break ao português impondo-lhe um jogo em branco no seu próprio serviço para fechar dessa forma o encontro, ao fim de uma hora e 40 minutos. O sérvio vai agora defrontar o espanhol Marcel Granollers.

Os dois detentores do título - masculino e feminino - também já estão nos oitavos de final do US Open. O britânico Andy Murray afastou o alemão Florian Mayer, por 7-6(2), 6-2 e 6-2 e vai defrontar o russo Denis Istomin.

A norte-amareicana Serena Williams afastou a compatriota Sloane Stephens por 6-4, 6-1 e vai defrontar a espanhola Carla Suárez.