Com Lucho González e Cristian Rodriguez no banco de suplentes, Lisandro López a cumprir castigo, o F.C. Porto estava diferente. Diferente na imagem. Mas o qualidade continuava por lá. Ernesto Farías restabeleceu a igualdade e Mariano González, nem sempre bem amado no Dragão, confirmou a reviravolta.

Tomás Costa remata sem preparação, com a pé esquerdo, e bola vem aos repelões. Nilson afasta-se do centro da baliza para acompanhar a trajectória e fica surpreendido pelo gesto de Mariano. O extremo desvia em rotação, partindo de posição legal, e abre caminho para o triunfo confirmado por Rolando (1-3). Mais uma semana, menos um obstáculo.