Já agora, se não conseguiu ver em directo, ainda vai a tempo. O programa passa em repetição às 3 da manhã e às 9h30 de sábado. Depois dê-nos a sua opinião.

Com Tomaz Morais a orientar a selecção nacional de râguebi, no Dubai, o painel de comentadores foi constituído por Mozer, Pedro Ribeiro e Nuno Madureira, sub-director do Maisfutebol. Amaral, campeão de Riade, juntou-se ao grupo para recordar a conquista histórica para o futebol português. Henrique Mateus distribuiu jogo.

A continuidade de Jesualdo Ferreira no F.C. Porto foi o primeiro tópico da noite. No final do programa, foram anunciados os resultados da sondagem: 65 por cento dos inquiridos votaram na saída do técnico no final da época. Depois, pegámos em Beto e fomos ver o guarda-redes do Leixões fazer francesinhas!

Num duelo de conhecimentos entre adeptos portistas, Carlos Tê não deu hipóteses e fez o pleno de respostas certas. 5-4, com Rui Reininho desolado.

Seguiu-se a história de um Inter, em Milheirós. Formado no tempo da televisão a tempo e branco, o clube da Maia acabou por ficar com as cores do AC Milan. No ano passado, lá corrigiram o erro e querem ser filiar do emblema de Mourinho e Figo.

Após pausa para café, falou-se do vendaval Mourinho em Itália, com Mozer a recordar os conselhos que dava ao técnico português. Vieram então os melhores vídeos do youtube e uma pergunta.

Concorda ou não com o casamento entre homossexuais? Os desportistas estranham a questão mas não colocam reservas. «Não temos de obstar aos que o querem fazer», atira Manuel Machado, sem receio. Nenê, avançado do Nacional, deixa só um aviso: «Se vier homem com homem, só não mexam comigo».

A arbitragem, tema central do programa, divide opiniões. Um árbitro de basquetebol explica as diferenças com o futebol, antes de Ronny e João Ferreira recordarem o golo com o brasileiro em Alvalade, com a mão. O jogador diz que repetiria o gesto.

Vata vai mais longe. Entrando em directo desde a Austrália, o antigo avançado do Benfica garante que não marcou com a mão, frente ao Marselha. Mozer não se conforma, uma vez que estava no Marselha nessa altura, mas leva a questão para a brincadeira.

Na recta final do programa, fomos ainda ver se algum jogador do Oriental conseguia acertar na barra, rematando do meio-campo. Um conseguiu, mas a bola bateu antes no chão. Carlos Manuel, o treinador, lamenta a falta de pontaria. Ainda fomos conhecer o café onde Paulo Bento toma o pequeno-almoço e lê os jornais, às vezes sendo surpreendido com notícias sobre o seu Sporting. E passou assim, uma hora e meia a correr.

Estivemos sempre ligados no Messenger e no Twitter, para interagir com os nossos leitores. As melhores perguntas foram colocadas num programa que é nosso, mas também é seu.