Manuel Machado, treinador do Nacional, a analisar o empate a uma bola com o Marítimo, no encerramento da 22ª jornada:

«É um resultado que me parece normal. Como sabem isto é um derby regional e que arrasta consigo muitas emoções. O equilíbrio foi a nota dominante, os sectores defensivos sobrepuseram-se aos ofensivos e por isso não foram muitas as finalizações enquadradas com a baliza. Houve dois bons golos e eu esperava que houvesse mais. Neste quadro a divisão de pontos tem de ser aceite. Quanto a aspectos mais genéricos, o Nacional teve mais bola, jogou mais sobre o campo do adversário e o Marítimo acaba encostado às cordas nitidamente, a tentar quebrar o ritmo do jogo com a entrada da maca e a saída da maca. Por isso temos de aceitar o resultado.»

«Há muita gente a fazer contabilidade. O Nacional também tem muitos jogos nas pernas. Esteve muito tempo envolvido na Taça da Liga, está na Taça de Portugal, mais o campeonato, é normal que alguns jogadores denunciem alguma quebra de rendimento e abrindo espaço a outros. Foi o caso do Juliano e a bom momento fizemos esta opção, pois marcou e deu criatividade ao nosso ataque. O Nacional não perdeu nada. Neste momento joga no primeiro terço da tabela, o que não era previsível, face ao facto de ser uma equipa jovem e em formação. Para além disso, está também na meia-final da Taça e com hipótese de chegar à final.»

«O ponto agrada-me, não perdemos para ninguém, mantivemos a nossa posição e ganhamos pontos aos Leixões e Marítimo, que são concorrentes directos. Em momento nenhum da minha boca ouviram que a meta era o 4º lugar. Eu já o disse aqui na conferência de imprensa no lançamento do jogo. Face ao que aconteceu em Setúbal, dificilmente, nenhuma destas equipas, Nacional, Marítimo ou Leixões irá conseguir lá chegar. Podem variar a ordem dos quatro primeiros mas as posições já estão entregues.»

«O árbitro não influenciou o resultou. Entrou num momento de dificuldade do colega. Teve um comportamento razoável. Nada se assemelha ao inventar de um penalty, como nos aconteceu em Setúbal. Agora temos 15 dias para prepara um jogo de muitas emoções e que trás consigo a possibilidade de o clube chegar ao Jamor.»