Yazalde

Voltou a mostrar o quão é importante para a equipa com um golo de execução difícil, perante a marcação de um adversário. Já tinha ameaçado e, pelos vistos, a defesa da casa não o levou a sério. Fez mal.

Fábio Coentrão

Desta vez foi Yazalde a marcar e Coentrão a servir. Causou calafrios aos navalistas com sucessivas arrancadas pelo lado direito e bons centros. Aliás, terá sido o jogador dos vila-condenses que mais contribuiu para intranquilizar Diego Ângelo e seus pares.

Vítor Gomes

Veste o número 10 e apesar de ter jogado à frente da defesa, revelou-se um verdadeiro box-to-box graças aos seus remates de meia-distância que obrigaram Peiser a algumas defesas aparatosas. Soube sempre o que fazer à bola, mostrando uma qualidade técnica acima da média para um jogador obrigado a funções defensivas.

Diego Ângelo

Está muito diferente em relação à época passada - para pior. Já tinha sentido algumas dificuldades em jogos anteriores e, desta vez, voltou a ficar ligado a um golo sofrido pela sua equipa, ao deixar Yazalde rodar sobre si antes do remate fatal.