Esta decisão contradiz as palavras do comissário David Stern, que referiu que a crise não iria afectar negativamente as equipas profissionais.