* Enviado-especial do Maisfutebol aos Jogos Olímpicos

Siga o autor no Twitter

«Usain, Usain, Usain», o Engenhão entregue ao relâmpago jamaicano e o relâmpago jamaicano a cantar. «One Love», de Bob Marley, outro ícone da ilha caribenha. Uma boa maneira de celebrar a oitava medalha de ouro em Jogos Olímpicos.

29 anos, reforma anunciada, decadência nem vê-la. Ok, elevemos a fasquia da exigência: Usain anuncia a pretensão de bater o recorde mundial dos 200 metros e falha. Mas as más notícias para o melhor velocista de todos os tempos ficam por aí.

A facilidade com que Bolt, numa pista molhada pela chuva miudinha, vence a corrida é espantosa. Nem Andre de Grasse, que repete o pódio conquistado no hectómetro, ousa aproximar-se do rei da velocidade.

Usain Bolt é o único a correr abaixo dos 20 segundos (19.78s) e a fazer uma prova à parte, só dele. O resto, sim, é equilibrado até ao limite da compreensão humana.

De Grasse fecha com 20.02s, Christophe Lemaitre (França) e Adam Gemili (Grã-Bretanha) registam exatamente com o mesmo tempo: 20.12s.

Lashawn Merritt (EUA) é apenas sexto e a maior desilusão da noite. Enquanto Usain Bolt canta Marley, beija o tempo de ouro e se entrega às bandeiras jamaicanas na bancada, Merritt caminha de cabeça baixa. Para longe.

«Sou um homem velho, não vou a Tóquio»

Usain Bolt tem na sexta feira à noite (22h35 no Brasil, 02h35 da madrugada em Portugal) a última corrida nos Jogos Olímpicos do Rio. Vai liderar a estafeta jamaicana nos 4x100 metros e tentar repetir o domínio sorridente de 2008 e 2012.

E o futuro, Usain? O adeus às provas olímpicas é para levar a sério? Usain, que de sério pouco tem, diz que sim. «Estou a ficar velho, o meu corpo nem na reta final respondeu bem esta noite».

O sorriso atrás da afirmação levanta a dúvida. Bolt é genuíno ou irónico? «Bem, para já só posso garantir que vou fazer os 100 metros nos Mundiais de Londres, em 2017. Os 200 metros? Não me acredito, despedi-me esta noite dessa distância, apesar de o meu treinador me andar a chatear com isso».

O Maisfutebol segue a conferência de imprensa de Usain Bolt. Identifica os gestos de sempre, a descontração natural, a aversão a comentários técnicos fastidiosos.

«Rapazes, eu nem leio jornais. Vou para a pista e corro depressa. Quando faço o meu trabalho bem e ganho, como hoje, sinto-me aliviado. É só isso, desculpem». E Bolt ri-se, como só ele sabe.

Sobre Tóquio-2020, a repetição de uma ideia anterior: «Não vou lá estar. Sou um homem velho. Já não tenho de provar mais nada a ninguém. O que preciso de fazer mais para provar que sou o maior?».

Boa pergunta, Usain. E a resposta?

«Uma corrida mais e depois espero estar no mesmo patamar de Muhammad Ali e Pelé».

AS 9 MEDALHAS DE USAIN BOLT NOS JOGOS OLÍMPICOS:

PEQUIM 2008:

. Ouro: 100 metros, 9,69s

. Ouro: 200 metros, 19,30s

. Ouro: 4x100 metros, 37,10s

LONDRES 2012:

. Ouro: 100 metros, 9,63s

. Ouro: 200 metros, 19,32s

. Ouro: 4x100 metros, 36,84s

RIO DE JANEIRO 2016:

. Ouro: 100 metros, 9,81s

. Ouro: 200 metros, 19,78s

. Ouro : 4x100 metros, 37,27s