«Eu estava ali com o Jorge (Mendes) e com o Mourinho (então treinador do Real Madrid). Tinha passado de treinar com os jogadores do Rio Ave para fazê-lo com Higuaín, o Kaká, o Di María... Era um sonho.»

FABINHO, excerto do livro  «Jorge Mendes – o agente especial», Miguel Cuesta e Jonathan Sánchez, sobre o momento da mudança do Rio Ave, onde esteve apenas 20 dias, para o Real Madrid

Os portistas Danilo e Casemiro foram os dois jogadores a atuar na Liga portuguesa chamados por Dunga para a Copa América, mas há um terceiro nome a incluir na lista dos atletas pertencentes a clubes portugueses.

Fabinho, 21 anos, lateral-direito a jogar no Monaco, tem contrato com o Rio Ave mas, na verdade, nunca atuou em partidas oficiais pelo clube de Vila do Conde.

Desde que, em junho de 2012, assinou seis anos pelo Rio Ave, Fabinho foi cedido ao Real Madrid (jogou sobretudo pelo Castilla, a equipa B dos merengues, ainda que tenha participado em encontros pela formação principal) e está a fazer segunda época pelo Monaco.

Representado por Jorge Mendes, foi através da ligação de Deco com o agente português que Fabinho, depois de brilhar na «Copinha» (prestigiada prova de juniores de São Paulo), quando tinha apenas 17 anos, que a oportunidade para «saltar» para Europa surgiu. «Fui almoçar a casa do Deco e aí conversámos sobre tudo. Tinha alguma ideia de quem era o Jorge porque falavam sempre do empresário do Cristiano Ronaldo, mas não imaginava a dimensão imensa do nome do Jorge Mendes no mundo do futebol», conta Fabinho, no livro «Jorge Mendes – o agente especial», dos espanhóis Miguel Cuesta e Jonathan Sánchez.

  

Novo Maicon?

 

Dunga já tinha dado sinais de que conta com ele. A chamada para a dupla operação com França e Chile, em março passado, assim o reforçava, depois de já ter sido convocado em substituição de Maicon, na sequência de importância crescente na equipa brasileira que se tem preparado para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

Mas a grande confirmação, com um certo grau de surpresa também, surgiu no passado dia 5, quando da convocatória da lista final dos 23 do escrete para a Copa América. 

Fabinho, que há apenas quatro anos militava na formação do modesto Paulínia, clube do interior de São Paulo, consta do lote final e no Brasil já há quem lhe rotule de «novo Maicon», numa alusão à expetativa de que possa ser, nos próximos anos, o lateral direito do escrete, função que Maicon, hoje com 33 anos e a jogar na Roma, assumiu por mais de 70 vezes nos últimos 12 anos. 

«Isso acontece também porque muitos olheiros de clubes europeus estão sempre nas competições de base das seleções e de clubes brasileiros. Foi o meu caso e graças a Deus deu certo. Nas equipes que passei na Europa consegui jogar e vem dando certo»

FABINHO, sobre o salto precoce para o grande futebol europeu 

Ainda será cedo para se ter certezas sobre isso (e na fila estará à frente, pelo menos, o ainda portista Danilo, já com contrato com o Real Madrid). mas Fabinho tem tudo para ser um «convocável» habitual nos próximos anos para a seleção brasileira. 

FABINHO AOS 18 ANOS 

  

 

Fabinho fez sua estreia profissional a 17 de agosto de 2012, na equipa principal do Real Madrid, em derrota frente ao Villarreal, por 1-2. Tinha, dias antes feito também pela equipa principal do Real um jogo amigável com o Oviedo, na pré-temporada 12/13.

Mas acabaria por integrar o Castilla, equipa B do Real, pelo que a primeira grande oportunidade surgiu no Monaco, destacando-se rapidamente como uma das revelações da liga francesa. 

«O Fabinho é um jogador de muita qualidade. Ele é muito importante para nós»
LEONARDO JARDIM, treinador português do Monaco 

FABINHO NO MONACO

  

 

Pelo Monaco, estreou-se a 10 de agosto de 2013, vitória 2-0 sobre o Bordéus, tendo marcado o seu primeiro golo no clube no triunfo 6-0 sobre o Lens, para os quartos de final da Taça de França, a 26 de março de 2014.

O primeiro golo na Champions aconteceria a 9 de dezembro de 2014, triunfo 2-0 sobre o Zenit (na fase de grupos ganha pelos monegascos, com o Benfica em quarto), e no melhor jogo do Monaco no percurso desta época, em Londres, vitória 1-3 frente ao Arsenal, Fabinho esteve em grande plano e até atuou a meio-campo.

O contrato com o Rio Ave termina em 2018. Não será de prever que regresse, algum dia, ao plantel vilacondense.

O destino de Fabinho tem rotas bem mais ambiciosas, mas ficará sempre marcado pela passagem fugaz por Vila de Conde. 

  

B.I. 

FABINHO

Nome: Fábio Henrique Tavares 

Data de nascimento: 23 de outubro de 1993 (21 anos)   

Naturalidade: Campinas (São Paulo)

Posição: Avançado 

Altura: 1,88 metros   

Peso: 80 quilos   

Percurso nos clubes: Paulínia (2006-09), Fluminense (2010-11), Real Madrid (2012-13), Monaco (2013-15)

Percurso nas seleções: cinco jogos pelos sub-20 do Brasil; um jogo pela seleção olímpica; convocado à seleção principal a 7 de setembro de 2014, para render Maicon; convocado à Copa América

Desempenho em 14/15: 33 jogos, um golo, uma assistência, 2.896 minutos jogados na Ligue 1; dez jogos, um golo, 818 minutos jogados na Champions; quatro jogos e 360 minutos jogados na Taça de França; três jogos e 285 minutos na Taça da Liga francesa

 

«Mundo Brasil»  é uma rubrica que conta histórias das experiências de jogadores e treinadores brasileiros que atuam ou já atuaram em campeonatos espalhados pelo globo