«Estamos aqui todos para dar as mãos e criar uma organização mais forte. É para isso que serve o nosso contributo, o nosso trabalho no dia-a-dia e o nosso entusiasmo como sportinguistas e a adesão às iniciativas do nosso Sporting e a este Congresso», destacou o dirigente, citado pela Agência Lusa, advertindo que, por vezes, «a paixão atraiçoa a razão».

O ainda presidente dos leões recordou que nas últimas duas ou três décadas foram «raros os anos em que os Sporting foi uma organização equilibrada». «Não há nenhuma organização que possa ser sustentável, se não tiver equilíbrio», referiu Soares Franco quer não quer terminar o mandato sem apontar um caminho para o futuro do clube.

O VII Congresso Leonino vai decorrer até domingo no Centro de Exposições e Mercados Agrícolas, em Santarém, com um total de 414 delegados, 210 recomendações, divididas pelas secções Sócios e Adeptos (95), Desafios e Ecletismo (38), Sustentabilidade Financeira (34) e Modelo Estratégico para o Futebol (25).