«O F.C. Porto é muito experiente. O Cristiano disse-me logo que ia ser duro, na altura do sorteio. Estão todos os anos na Liga dos Campeões, têm muitos jogadores de qualidade, argentinos e brasileiros. Vi com atenção os jogos com o Arsenal e o At. Madrid e gostei muito. Vendem todos os anos atletas importantes mas reforçam-se quase sempre bem», vincou o veterano treinador.

Sem querer individualizar, Ferguson apenas mencionou o nome de Hulk. «É muito bom jogador», limitou-se a afirmar, antes de confirmar a ausência de Rio Ferdinand. «Está lesionado e não me parece que recupere a tempo. Os jogadores que alinharam ontem hoje estão a descansar e espero que estejam frescos contra o F.C. Porto. Temos jogadores lesionados e teremos de gerir tudo isso.»

O exemplo Neville e Macheda para o banco

A táctica do ManUtd para o jogo com o F.C. Porto parece simples, no entender de Alex Ferguson. O treinador pede «máximo empenho» e dá o exemplo da postura de Gary Neville na partida de domingo contra o Aston Villa.

«Ele não jogava há dois meses. Vocês viram o que correu nos últimos 15 minutos, com 34 anos? Foi incrível. É esse o nível de empenho que quero de todos», sentenciou o técnico, que anunciou a presença do jovem Macheda no banco de suplentes.

«Seria uma pena excluí-lo dos convocados depois do que fez domingo. Aqui no Manchester United tentamos sempre ajudar os jovens jogadores. O Giggs, o Neville e o Scholes são bons exemplos, tal como o OShea e o Fletcher, estes mais jovens. O Macheda tinha feito três golos nas reservas e achei que estava preparado. Mas sei que não é fácil para um miúdo jogar frente a 70 mil pessoas. É preciso saber se o jogador em causa tem temperamento para esses ambientes.»