«O pensamento não é elogiar quem vai ganhar, mas massacrar quem vai perder», referiu Paulo Bento, pensando na constante designação deste troféu como salvação da época para uma das duas equipas. «Tal como disse o Paulo, penso que é uma mentalidade fraca para abordar uma final», reforçou Quique Flores.

Paulo Bento acredita que a sua equipa tudo fará para vencer. «O que pretendemos é, o que temos sempre em mente, ganhar uma competição, que respeitámos desde o início, respeitando igualmente um adversário que é valioso. Pretendemos alcançar o objectivo que não alcançámos no ano passado, estando conscientes das dificuldades que vamos encontrar. Esperamos estar organizados e com cabeça do início ao fim. Há que ter controlo emocional porque é um derby», lembra.

Quique Flores, treinador dos encarnados, apontou que a sua equipa terá de ter «uma mentalidade forte» e quer que os jogadores percebam a importância que este troféu tem: «É uma honra estar na final. É importante para uma equipa como o Benfica, que pretende estar sempre nas finais de todas as provas em que está envolvida. Respeitamos muito o trabalho do adversário e os seus jogadores. Será uma final complicada, mas temos sempre vontade de oferecer o troféu aos adeptos e de brindar o nosso esforço com um bom resultado.»

O espanhol espera desfrutar um momento especial no Estádio Algarve. «Se tiveres determinação para encarares o teu trabalho, se tiveres ilusão pela vitória, isso é o mais importante. Temos o privilégio de chegar a esta final, de desfrutar deste momento, e vamos tentar fazer a melhor exibição possível», garante.

O treinador do Sporting, por outro lado, garante concentração máxima na final da Taça da Liga. «Queremos pensar só nesta final e não noutras competições. Resta-nos o campeonato, a seguir a esta competição, mas teremos tempo para pensar nele depois. Sporting e Benfica foram duas equipas que deram valor a esta competição, desde o princípio. Por isso estão na final. Aquilo que é importante é que ambas as equipas vão pensar em ganhar», remata.