Na hora do adeus, o uruguaio aproveitou para agradecer a forma como foi tratado em Coimbra e desejou sucesso aos antigos companheiros. «Só posso dizer obrigado pela forma como me receberam e desejar o melhor para todos. Espero que cada um consiga atingir as suas metas pessoais», afirmou ao Maisfutebol.

Os motivos para a saída, por mútuo acordo, são de «índole familiar» mas o jogador não deixa de revelar alguma frustração por sentir que, caso continuasse em Portugal, poderia conseguir afirmar-se na próxima época: «Era uma situação complicada para mim. Falei com o treinador e o presidente porque em primeiro lugar está a minha família. Como qualquer jogador, gostaria de ter jogado mais e, com mais uma época, talvez pudesse melhorar. Paciência.»

Quanto ao futuro, Carlos Aguiar, que somou apenas 240 minutos em seis jogos na Liga, mas apontou dois golos na Taça da Liga, pretende voltar a jogar no Uruguai, tendo três convites em carteira, um deles do Liverpool de Montevideu, o seu clube antes de se transferir para Portugal.