O conto de fadas continua. Na primeira participação de sempre num CAN – Campeonato Africano das Nações, a seleção de Madagáscar venceu o Congo, do portista Mbemba, no desempate nas grandes penalidades.

Isto, depois de ter estado em vantagem duas vezes durante os 90 minutos, mas ter sido obrigado a jogar o prolongamento graças a um golo de Mbemba nos descontos da segunda parte.

Madagáscar entrou a partir gelo… à bomba. Logo aos nove minutos, Ibrahim Amada apanhou uma bola à entrada da área e fez um golaço incrível, com a bola a entrar ao ângulo da baliza congolesa.

Ora veja:

A vantagem, porém, durou pouco tempo. Aos 21m, Cedric Bakambu empatou a partida. O 1-1 manteve-se até aos 77m, quando Faneva Andriatsima voltou a colocar Madagáscar em vantagem, um golo que só não valeu logo o apuramento para os quartos de final porque o portista Mbemba surgiu já no período de descontos a vestir o fato de herói do Congo.

Na sequência de um canto, Mbemba foi mais forte do que toda a concorrência e fez o empate que levou o jogo para prolongamento.

Veja o golo do portista:

 

No tempo-extra nada se alterou e na decisão nos penáltis, Madagáscar foi mais forte, uma vez que Marcel Tisserand e Yannick Bolasie falharam a primeira e a quarta tentativas, enquanto na equipa de Madagáscar todos os jogadores marcaram.