O futebol não pode nem deve ser tomado de assalto e os governos do mundo e a justiça comum já perceberam que tem de se colocar um fim num futebol que se transformou num subsistema opaco, cheio de negociatas, corrupção e onde a criminalidade, nomeadamente pagamento de luvas, apostas ilegais e lavagem de dinheiro, são acções a combater de imediato.»

O Sporting deverá agora recorrer para o Tribunal Federal da Suíça, o único daquele país com competência para analisar decisões do TAS.