O campeão europeu assumiu-se, assim, definitivamente como um dos mais fortes candidatos ao título mundial. Os espanhóis chegaram ao intervalo a vencer por 2-0, com golos de Villa e Sergio Ramos, mas contaram com outras oportunidades para aumentar a vantagem, com destaque para uma oportunidade flagrante de Navas nos últimos instantes do jogo.

O campeão europeu destacou-se, acima de tudo, pela sua excelente organização defensiva, que permitiu à França apenas uma oportunidade de golo, a dez minutos do final, quando Malouda atirou de cabeça à trave. A verdade é que os espanhois levantaram o pé do acelerador na segunda parte, sem que isso tenha permitido que Ribery, Anleka e Henry tenham aparecido no jogo.

A equipa de Vicente del Bosque quebra, assim, um velho «tabu» que a impedia de vencer em França desde 1968. O jogo acabou ao som de assobios, para os «Bleus», e de «olés», para a «Roja».

As equipas apresentaram as seguintes formações:

FRANÇA: Lloris; Sagna, Ciani, Escudé, Evra; Toulalan, Lassana Diarra; Ribéry (Malouda, 74m), Gourcuff, Henry (Govou, 65m); Anelka (Cissé, 77m).

ESPANHA: Casillas; Sergio Ramos, Puyol (Albiol, 46m), Piqué, Arbeloa; Xabi Alonso (Senna, 64m), Busquets; Silva (Güiza, 80m), Cesc (Xavi, 46m), Iniesta (Navas, 64m); Villa (Torres, 46m),