Os carros mais rápidos foram os das equipas visadas por protestos na véspera quanto à legalidade das novas funcionalidades nos seus monolugares, nomeadamente os difusores traseiros. A Federação Internacional Automóvel (FIA) considerou que não violavam os regulamentos, os treinos de sexta-feira confirmaram que Williams, Brawn e Toyota estão uns passos à frente da concorrência.

O segundo mais rápido do dia foi Rubens Barrichelo (Brawn), o segundo Jarno Trulli (Toyota).