«Na sequência dos acontecimentos dos últimos jogos, os quais penalizaram sobremaneira a equipa (...) houve acordo mútuo para a rescisão de contrato que unia as duas partes até ao final da temporada 2015/2016.»

Também o presidente do clube madeirense, Carlos Pereira confirmou, referindo que foi o treinador que pediu para sair: 
«Houve uma reunião no sábado de manhã, solicitada pelo treinador, na qual manifestou uma firma disposição de pôr termo à sua relação laboral com o Marítimo. Pretensão essa que foi aceite pelo Marítimo.»