«Não é uma equipa com grande valor técnico e gosta do contacto. É uma equipa muito acessível. Tem um sistema muito rígido e repetitivo que se pode dissecar rapidamente. Vale pelo colectivo e pela disciplina táctica», destacou o treinador, em declarações à Agência Lusa, depois de ter sido condecorado com a Comenda da Ordem de Mérito, em Lisboa, pela projecção da imagem de Portugal na Ásia.

Neste sentido, Calisto considera que a Coreia do Norte «não será problemática» para o jogo de abertura de Carlos Queiroz. «Jogámos no ano passado com a Coreia do Norte e empatámos 0-0. É uma equipa sem grande criatividade, mas com muita disciplina táctica e alguns jogadores rápidos», referiu ainda o técnico português.