O clube uruguaio serviu de entreposto na vinda de Hulk do Japão para Portugal. O avançado foi inscrito nesse emblema, controlado pelo seu empresário Juan Figger, passando depois imediatamente para o F.C. Porto.

Em 2008, o clube portista anunciou a compra de 50 por cento do passe do avançado por 5,5 milhões de euros. Ou seja, juntando estes 13,5 milhões, Hulk bate toda a concorrência e passa a ser o jogador mais caro na história do futebol português.

A 20 de Agosto de 2009, o F.C. Porto avançou para a renovação de contrato com Hulk, alargando a sua validade até 2014. A cláusula de rescisão subiu para os famosos 100 milhões de euros.

Nessa renegociação de contrato, o jogador ou o seu representante terão garantido uma ligeira percentagem do passe, já que em Março de 2011 o relatório e contas do F.C. Porto anunciava que o clube tinha apenas 45 por cento dos direitos económicos.

Relatório e Contas do F.C. Porto

Esta operação pode estar relacionada com o interesse de outros clubes. Recorde-se que Lisandro López e Lucho González, por exemplo, foram para o Dragão com alienação de metade dos seus passes. Os acordos previam que, em caso de oferta do exterior, o F.C. Porto teria de negociar ou avançar para a compra da restante percentagem.

Com esta operação histórica, os dragões ficam com 85 por cento do passe de Hulk, gastando 19 milhões de euros na operação.

«A Futebol Clube do Porto - Futebol, SAD vem comunicar, nos termos e para os efeitos do art. 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, ter adquirido a percentagem adicional de 40% dos direitos económicos do jogador Givanildo Vieira de Souza (Hulk), ao Club Atlético Rentistas, pelo montante de 13.500.000 € (treze milhões e quinhentos mil euros)», anunciou o F.C. Porto em comunicado enviado à Comissão de Mercado e Valores Mobiliários.

«Mais se informa que a FC Porto SAD prolongou o contrato de trabalho com o referido jogador até 30 de Junho de 2016, mantendo-se a cláusula de rescisão prevista contratualmente nos 100.000.000 € (cem milhões de euros)», acrescentaram os dragões.

[artigo actualizado]