«O comboio passou. Ele demonstrou que não tem personalidade suficiente para vestir a camisola da seleção. Se eu fosse o selecionador, não o convocaria», afirmou o antigo jogador em entrevista ao LÉquipe, acrescentando que as críticas nada têm a ver com a qualidade de Thiago Silva como jogador: «Atenção, não estou a questionar as suas qualidades de futebolista. Estou interrogo-me sobre as suas capacidades psicológicas. Nisso, ele falhou. Mas ele, também, pode aprender com os erros, tornar-se mais adulto e, quem sabe, um dia voltar à seleção».

Dunga não convocou mais o jogador para a seleção, depois de na Copa América Thiago Silva ter cometido um penálti (colocou, infantilmente, a mão na bola), que deu o empate ao Paraguai e levou o jogo para grandes penalidades, que ditaram a eliminação dos brasileiros.

Esta terá sido a gota de água de uma relação que nunca foi a melhor, já que com a entrada de Dunga na seleção, após o Mundial 2014, Thiago Silva perdeu a braçadeira de capitão e chegou mesmo a mostrar o seu desagrado.